Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

WhatsApp deixará de cobrar taxa de assinatura anual

A empresa entende que esse plano de monetização não deu certo e que os anúncios publicitários não serão adotados mesmo sem a cobrança

O aplicativo de mensagens mais popular do mundo, o WhatsApp, informou em publicação no blog da companhia que deixará de aplicar a taxa de assinatura anual. Por anos, o WhatsApp pedia que os usuários pagassem uma taxa de 0,99 dólar (4 reais) pelo uso do serviço após o primeiro ano de utilização como uma forma de arrecadação alheia aos anúncios publicitários.

“Conforme crescemos, descobrimos que essa abordagem não funcionou bem. Muitos usuários do WhatsApp não têm cartão de débito ou crédito e ficavam preocupados em perder acesso a seus amigos e família após seu primeiro ano. Então, nas próximas semanas, iremos remover as taxas das diferentes versões do aplicativo, e o WhatsApp não mais irá cobrar pelo serviço”, disse a empresa.

No anúncio oficial, a companhia, mesmo com a retirada das taxas, afirma que não pretende introduzir anúncios no aplicativo, o que também foi confirmado nesta segunda-feira pelo fundador e CEO do aplicativo, Jan Koum, durante uma conferência de tecnologia em Munique, na Alemanha. “Nós iremos testar ferramentas que permitam usar o WhatsApp para se comunicar com empresas e organizações. Isso pode significar falar com seu banco para saber se uma transação recente é fraudulenta ou com uma empresa aérea sobre um voo atrasado”, disse Koum.

Jan Koum, fundador do WhatsApp,  durante o Mobile World Congress, na Espanha Jan Koum, fundador do WhatsApp, durante o Mobile World Congress, na Espanha

Jan Koum, fundador do WhatsApp, durante o Mobile World Congress, na Espanha (/)

Leia também:

Bloqueio do WhatsApp ocorreu por causa de traficante ligado ao PCC, diz site

Liminar determina desbloqueio do Whatsapp em todo o país

Zuckerberg editou texto sobre Whatsapp para poupar governo

(Com Reuters)

Member of The Internet Defense League