Clique e assine com 88% de desconto

Facebook enfrenta processo nos EUA por marcação de fotos

Três cidadãos americanos acusam a empresa de coletar e armazenar dados biométricos dos usuários de forma ilegal

Por Da Redação - 6 maio 2016, 16h54

O Facebook perdeu a primeira batalha judicial para três cidadãos americanos que processaram a companhia, acusando-a de coletar e armazenar ilegalmente dados biométricos a partir do recurso de marcação de fotos, que identifica nas imagens os rostos das pessoas. O juiz responsável pelo caso em um tribunal federal na Califórnia recusou na quinta-feira uma moção do Facebook que tentava cancelar o processo civil, amparado na lei de privacidade de informação biométrica do Estado de Illinois.

LEIA TAMBÉM:

Mark Zuckerberg se casa e compartilha foto no Facebook

Mark Zuckerberg, o criador do Facebook, já é um trintão

Continua após a publicidade

Internet? Não, o que Zuckerberg quer é Facebook para todos

A rede social de Mark Zuckerberg argumentou que os usuários não podem entrar com uma queixa com base na lei do Estado, pois no momento de fazer o cadastro ao serviço eles aceitaram os “termos e condições de uso” do Facebook, que inclui a informação de que a empresa responde, restritamente, às leis da Califórnia e a leis federais dos Estados Unidos. O Facebook também disse no tribunal que a análise de fotografias não configura uma coleta de dados biométricos e que, por isso, a legislação de Illinois não é aplicável. Mas a argumentação não foi acatada pelo juiz.

“O tribunal aceita como verdadeiras as acusações dos demandantes de que a tecnologia de reconhecimento facial do Facebook inclui uma leitura da geometria facial que foi feita sem o consentimento dos usuários”, indicou o juiz em sua decisão. O processo agora segue e as partes apresentarão nos próximos meses suas defesas. Uma nova audiência foi marcada para 15 de junho.

(Com AFP e Reuters)

Publicidade