Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sonolência, tontura e náusea estão entre os efeitos colaterais do medicamento

FDA alerta sobre os riscos da flibasterina, o primeiro remédio desenvolvido para estimular a libido em mulheres que ainda não chegaram à menopausa

A FDA relutou – e muito – para aprovar a flibasterina (o nome comercial do remédio será Addyi). O principal temor são os efeitos colaterais do medicamento. Entre os mais comuns, estão tontura, sonolência, náusea e fadiga. Há ainda consequências mais sérias, como desmaio e queda brusca na pressão arterial. Das pacientes estudadas em pesquisas clínicas, 13% tiveram que parar o tratamento por causa dos efeitos colaterais.

LEIA TAMBÉM:

Viagra feminino foi aprovado nos Estados Unidos

Os riscos de hipertensão e perda de consciência podem ser ainda mais altos quando o medicamento é ingerido juntamente com bebidas alcóolicas. “Há uma potencial interação do remédio com o álcool”, diz Janet Woodcock, diretora do Centro de Avaliação e Pesquisa de Medicamentos da FDA. “Por isso, as farnácias só poderão vender o medicamento perante a prescrição médica de profissionais certificados.”

Esta foi a terceira tentativa do laboratório Sprout Pharmaceuticals em aprovar o remédio. Desta vez, a empresa incluiu a apresentação de novos dados de segurança, incluindo uma pesquisa comprovando que o remédio não afeta a capacidade de dirigir automóvel — esse era um dos principais pontos de preocupação da agência.

Em junho, uma comissão de especialistas havia recomendado a aprovação do medicamento, após uma votação de 18 pessoas a favor e seis contra.

Member of The Internet Defense League