Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Parar de fumar engorda, mas benefícios ao coração se mantêm

Segundo estudo que acompanhou 3.200 pessoas por mais de 20 anos, tendência de ganho de peso é maior entre quem abandona o cigarro. No entanto, quilos a mais não alteram a diminuição do risco de doenças cardíacas

É inegável que uma das melhores coisas que um fumante pode fazer pela sua saúde cardíaca é abandonar o cigarro. Por outro lado, estudos já mostraram que o ganho de peso é, de fato, um dos efeitos negativos do fim do tabagismo – e, como se sabe, engordar faz mal ao coração. Diante disso, surge uma dúvida: qual dos efeitos, entre o do aumento do peso e o do fim do cigarro, se sobressai? Um novo estudo feito por pesquisadores suíços e americanos descobriu que uma pessoa que para de fumar, de fato, pode engordar – mas que os benefícios ao coração superam qualquer risco associado ao aumento do peso. A pesquisa foi publicada nesta terça-feira no periódico The Journal of The American Medical Association (JAMA).

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Association of Smoking Cessation and Weight Change With Cardiovascular Disease Among Adults With and Without Diabetes

Onde foi divulgada: periódico The Journal of The American Medical Association (JAMA)

Quem fez: Carole Clair, Nancy Rigotti, Bianca Porneala, Caroline Fox, Ralph D’Agostino, Michael Pencina e James Meigs

Instituição: Universidades de Lausanne, Suíça, e Harvard, Estados Unidos

Dados de amostragem: 3.251 pessoas

Resultado: Fumantes, não fumantes e pessoas que deixaram de fumar há mais do que quatro anos engordam, em média, entre meio e um quilo a cada quatro anos. Já aquelas que deixaram de fumar há menos do que quatro anos, ganham entre dois e 4,5 quilos no mesmo período. Porém, independentemente de quanto um indivíduo engorda após abandonar o cigarro, ele tem uma redução de 50% no seu risco de doenças cardíacas seis anos depois de largar o vício.

O trabalho, desenvolvido por especialistas da Universidade de Lausanne, na Suíça, e do Hospital Geral de Massachusetts, filiado à Universidade Harvard, nos Estados Unidos, se baseou nos dados de 3.251 americanos que participaram de um estudo de saúde durante 27 anos (de 1984 a 2011). A cada quatro anos, os pesquisadores avaliaram os participantes, olhando especialmente para fatores como tabagismo, ganho de peso e saúde cardíaca. Durante todo o estudo, foram registrados 631 casos de doenças cardiovasculares.

Leia também:

Parar de fumar engorda, confirma pesquisa

Fumantes morrem dez anos antes do que o restante da população

Mulheres que param de fumar antes dos 30 anos reduzem risco de morte prematura em até 97%

Fim do vício – De acordo com o estudo, em mais de duas décadas, a tendência de ganho de peso foi observada em todos os indivíduos que participaram da pesquisa, mas foi maior entre aqueles que haviam parado de fumar há menos tempo – ou seja, desde a sua última avaliação, feita há quatro anos. Enquanto fumantes, não fumantes e pessoas que haviam abandonado o cigarro há mais do que quatro anos engordaram, em média, de meio a um quilo a cada intervalo entre as avaliações, os ex-fumantes mais recentes ganharam, em média, de dois a 4,5 quilos no espaço entre as visitas. Porém, os pesquisadores observaram que, independentemente de quanto o participante havia engordado ao deixar de fumar, o seu risco de sofrer algum evento cardiovascular diminuiu em 50% seis anos após ele abandonar o cigarro. Esse dado foi válido para pessoas livres de diabetes. De acordo com os autores do estudo, diabéticos, entre os quais o ganho de peso é especialmente preocupante, também apresentaram uma queda nesse risco. No entanto, poucos participantes da pesquisa apresentavam a doença, então não foi possível chegar a um número estatisticamente significativo. “Nós agora podemos dizer com toda a certeza que parar de fumar tem um efeito muito positivo no risco cardiovascular, mesmo se houver ganho de peso”, diz James Meigs, professor da Universidade Harvard e um dos autores do estudo.

Member of The Internet Defense League