Clique e assine com 88% de desconto

ONG abre vagas para cirurgia gratuita de lábio leporino

Programa humanitário destina 100 vagas a crianças portadora da doença. Pacientes de fora do Rio de Janeiro podem solicitar hospedagem

Por Da Redação - 31 maio 2012, 13h20

Um programa humanitário, da ONG Operação Sorriso, oferece cirurgias gratuitas para 100 crianças portadoras de lábio leporino. A seleção dos pacientes acontece hoje e amanhã, a partir das 8h, na Policlínica Piquet Carneiro – na Avenida Marechal Rondon, 381, bairro São Francisco Xavier, zona Norte do Rio de Janeiro. Na manhã desta quinta-feira, a atriz Cecília Dassi participou do projeto, brincando e posando para fotos com os candidatos. As cirurgias serão realizadas, entre 4 e 8 de junho, no Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel. As informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 7979-5870.

Os interessados devem comparecer à policlínica nos dias indicados, levando documentos. Pacientes e mais uma familiar que residam fora do município podem solicitar hospedagem gratuita, oferecida pela Marinha do Brasil. A ONG oferece também transporte até o hospital e alimentação sem custo. A cirurgia é relativamente rápida. Em média, uma cirurgia no lábio tem duração média de 45 minutos e, na manhã após a cirurgia, o paciente já está liberado para retornar para casa.

“A preocupação da Operação Sorriso no mundo inteiro é realizar um programa humanitário com qualidade. Vamos receber pessoas que precisam de ajuda e queremos que se sintam acolhidas. Para isso, montamos uma grande estrutura de recepção aos pacientes e seus familiares, onde contamos com a Marinha do Brasil no apoio à logística e alojamento”, explica Clóvis Brito, diretor executivo da OSB.

Cerca de 70 voluntários, de diversas especialidades médicas, vieram do mundo inteiro para a missão do Rio de Janeiro.

Publicidade

“A ideia é operar, e capacitar centros locais. As crianças que não forem atendidas serão encaminhadas para o serviço local, atingindo a população com resultados mais permanentes”, diz Luciana Glaser, coordenadora Nacional de Programas da OSB.

O lábio fissurado, ou fenda palatina, é uma abertura no lábio, palato ou tecido mole da parte posterior da boca. A causa exata desse problema ainda é desconhecida, mas esse é um problema congênito em uma etapa inicial do desenvolvimento do embrião.

As consequências da fissura labiopalatal na vida de uma criança vão além da estética e podem causar problemas auditivos, infecções crônicas, má nutrição, má formação da dentição e dificuldades no desenvolvimento da fala. Frequentemente observa-se o abandono escolar e a baixa da autoestima, ocasionando também problemas psicológicos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a incidência de fissuras no Brasil é de 1 a cada 650 nascimentos, indicando a existência de cerca de 300 mil pessoas vivendo com o problema no Brasil. Uma em cada dez criançs que nascem com fenda palatina não completam o primeiro ano de vida, segundo a pesquisa.

Publicidade