Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Temer ouve mais críticas sobre ausência de mulheres e promete nomear ministra em reforma

Deputadas pediram que presidente interino apoie uma candidata mulher para comandar a Câmara nas eleições do parlamento em 2017

O presidente da República interino, Michel Temer (PMDB), ouviu mais críticas nesta quinta-feira de parte da bancada feminina na Câmara​ pela ausência de mulheres no primeiro escalão ministerial​. Em uma tentativa de aplacar o descontentamento, Temer convocou as deputadas para uma reunião e prometeu nomear uma mulher assim que tiver de fazer uma reforma ministerial. As deputadas pediram que Temer apoie uma candidata para presidir a Câmara a partir do ano que vem.

​”Tive muito pouco tempo para formar esse governo”​, justificou Temer, segundo a deputada Josi Nunes (PMDB-TO)​.​ Ela afirmou que a bancada “se sentiu valorizada” por ter sido convocada para uma audiência que durou mais de duas horas logo na primeira semana do governo interino. Josi disse que o governo foi formado com base em uma composição dos partidos e que as cúpulas das siglas “indicaram homens e não mulheres” – mais uma tese em defesa de Temer.

Leia mais:

Temer formaliza aliado de Cunha como líder do governo na Câmara

Ligado a Temer, Baleia Rossi é o novo líder do PMDB

“Eu particularmente coloquei para ele: ‘É preciso ter uma mulher’. Ele foi muito sensível, disse que, em princípio, vai ficar esse ministério. Mas deixou claro que na formação de um novo, um pouco mais a frente, vai nomear uma representante mulher​. ​Ele nos pediu um tempo”, disse Josi.

Ao todo, 21 deputadas participaram do encontro, todas da base governista.

As parlamentares disseram que toda a bancada feminina foi convidada (inclusive de partidos de oposição)​, mas havia cadeiras vazias na sala de reuniões.​ A deputada Rosângela Gomes (PRB-RJ) ​afirmou que a bancada indicou o nome da deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) para ocupar a Secretaria da Mulher no Ministério da Justiça. Ela também afirmou que, com a presidente Dilma Rousseff no poder, não havia contato direto com as parlamentares. “Antes tínhamos um ministério​ das Mulheres, depois transformado em secretaria​, mas nunca tivemos um momento como hoje de sentarmos com a presidente da República e apresentarmos as nossas demandas. A presidente teria essa função e não o fez. Hoje tivemos pela primeira vez um diálogo direto e franco com o presidente​.​”

​A deputada Mara Gabrilli​ (PSDB-SP), que chegou a ser cotada para assumir a Secretaria de Direitos Humanos, afirmou que a ausência de mulheres “não foi uma falha pessoal de Temer, mas uma consequência de como a política brasileira vem sendo estruturada nos partidos”.​​ Segundo Mara, as deputadas sugeriram que o peemedebista ajude uma candidatura feminina na próxima eleição para a presidência da Câmara. “Seria uma forma de trazer essa feminilidade pelo lado do Congresso​.” Mas Temer respondeu que essa era uma questão interna do Legislativo, segundo Josi Nunes.

​O presidente interino também pediu apoio na votação de mudança da meta fiscal, prevista pra a próxima terça-feira no Congresso ​Nacional.

Member of The Internet Defense League