Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Por eleição municipal, Pedro Paulo deixará secretaria de Paes amanhã

Secretário municipal de coordenação de governo concorrerá à sucessão do prefeito Eduardo Paes mesmo após virem à tona casos de agressões que fez à ex-mulher

O secretário-executivo da prefeitura do Rio de Janeiro, Pedro Paulo de Carvalho (PMDB), anunciou nesta terça-feira que vai ser exonerado do cargo amanhã para concorrer à prefeitura da cidade nas eleições de outubro deste ano. Investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) em inquérito que apura episódios de agressão à ex-mulher, Pedro Paulo retomará o mandato na Câmara dos Deputados.

A saída do secretário da gestão do prefeito Eduardo Paes (PMDB) cumpre o prazo para desincompatibilização de cargos públicos pela qual devem passar os candidatos às eleições municipais. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estipula que, para concorrer ao cargo de prefeito, as exonerações devem ser feitas até quatro meses antes do pleito.

Pedro Paulo será substituído na Secretaria-Executiva de Coordenação de Governo do Rio por Rafael Picciani, de 28 anos. Secretário municipal de Transportes, ele é filho de Jorge Picciani, presidente do diretório fluminense do PMDB e da Assembleia Legislativa do Estado, e irmão do ministro do Turismo, deputado federal Leonardo Picciani.

Apoiado ostensivamente por Eduardo Paes, que defendeu a continuidade de sua candidatura mesmo após o site de VEJA revelar que o secretário agrediu a ex-mulher, Alexandra Marcondes, em duas ocasiões, Pedro Paulo conseguiu se manter como candidato peemedebista à sucessão do prefeito.

LEIA TAMBÉM:

Caso Pedro Paulo: bateu, sim. E não foi a primeira vez…

O partido ainda busca o candidato a vice na chapa encabeçada pelo pupilo de Paes. O PT, que ocupou o posto no segundo mandato do prefeito, deixou o governo e retirou apoio à candidatura de Pedro Paulo após ele votar favoravelmente ao impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff na votação do processo na Câmara. Os petistas vão apoiar a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) na campanha.

O PDT deve indicar o candidato a vice de Pedro Paulo, que não confirma, no entanto, se a vaga será ocupada por uma mulher, como pretendem aliados para atenuar os episódios de agressão por ele protagonizados.

Além de Pedro Paulo e Jandira, são pré-candidatos à Prefeitura do Rio o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), o senador Marcelo Crivella (PRB) e o deputado federal Alessandro Molon (Rede).

Member of The Internet Defense League