Clique e assine com 88% de desconto

MP faz nova denúncia contra João Santana, Odebrecht e mais 15 na Lava Jato

Ao todo, dezessete pessoas foram acusadas formalmente por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro

Por da Redação - 28 abr 2016, 14h54

A força-tarefa da Operação Lava Jato apresentou nesta quinta-feira duas novas denúncias contra 17 pessoas suspeitas de participação no esquema de corrupção instalado na Petrobras. A primeira se refere à 23ª fase da Operação, a Acarajé, e a segunda, à 26ª etapa, a Xepa. Entre os denunciados, estão o ex-marqueteiro do PT João Santana e a sua mulher, Monica Moura. Também são acusados formalmente o ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Os quatro são acusados dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

O objeto da primeira denúncia é o suposto pagamento de 4,5 milhões de dólares a João Santana pelo lobista e engenheiro representante no Brasil do estaleiro Keppel Fels, Zwi Skornicki. O estaleiro fornecia navios sondas para a Petrobras. Segundo a procuradora Laura Tessler, o dinheiro repassado ao marqueteiro, que foi responsável pelas campanhas do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff, foi feito da parte que cabia ao PT no esquema. Em relação a Monica Moura, as investigações apontam que foi ela quem indicou para Skornicki os dados das contas para os depósitos no exterior.

“[Os recursos] eram contados como uma parcela da propina que deveria ser paga ao Partido dos Trabalhadores. A remessa dos valores era feita por orientação de João Vaccari, que era a pessoa que coordenava o repasse no interesse do Partido dos Trabalhadores”, disse a procuradora.

Já a segunda denúncia se refere aos 3 milhões de dólares remetidos a Santana por offshores ligadas à Odebrecht e ao chamado “departamento de propina”, que funcionava dentro da empresa para cuidar especificamente das operações ilegais. Esta é a terceira denúncia contra Marcelo Odebrecht, que já foi condenado em um primeiro processo a 19 anos de prisão.

Continua após a publicidade

Segundo as investigações, Odebrecht coordenava o chamado “Setor de Operações Estruturadas”, que dispunha de funcionários e de um sistema informacional próprios, e tinha a estrutura de uma verdadeira “indústria de propinas”. A procuradoria apontou que o setor operava de forma autônoma e era acionado por diferentes empresas do grupo Odebrecht, dependendo da necessidade de cada uma. “E o mínimo múltiplo comum [desses negócios] era o Marcelo Odebrecht”, afirmou Dallagnol. “O que esse setor fez foi montar uma organização maior, com requinte profissional, de aprimorar os meios de ocultação de dinheiro”, corroborou Laura Tessler.

A procuradora também deu alguns detalhes do depoimento da ex-funcionária do “setor de propinas” Maria Lúcia Tavares, que firmou acordo de delação premiada com a força-tarefa. “Ela conta que, logo que entrou no departamento, já foi lhe dito abertamente qual era a sua função. Não tinham vergonha nenhuma de praticar a corrupção de modo profissional”, comentou ela.

Balanço – Antes de detalhar as denúncias, o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, procurador Deltan Martinazzo Dallagnol, fez um balanço geral sobre a operação. Segundo ele, contando as duas de hoje, a Lava Jato soma 39 acusações formais e 93 condenações. Ele também afirmou que 2,9 bilhões de reais foram devolvidos aos cofres públicos por meio de acordos de delação premiada.

Dallagnol também ressaltou que a corrupção não é exclusividade de “partido A ou B” e que uma eventual troca de governo não signfica que o combate à corrupção no país já “está com meio caminho andado”.

Continua após a publicidade

Confira a lista de denunciados:

Denúncia 1:

1) Zwi Skornicki

2) Pedro José Barusco Filho

Continua após a publicidade

3) Renato de Souza Duque

4) Monica Regina Cunha Moura

5) Joao Cerqueira de Santana Filho

6) João Vaccari Neto

Continua após a publicidade

7) José Carlos de Medeiros Ferraz

8) Eduardo Costa Vaz Musa

Denúncia 2:

1) Marcelo Bahia Odebrecht

Continua após a publicidade

2) Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho

3) Luiz Eduardo da Rocha Soares

4) Fernando Migliaccio da Silva

5) Maria Lucia Guimarães Tavares

Continua após a publicidade

6) Angela Palmeira Ferreira

7) Isaias Ubiraci Chaves Santos

8) Monica Regina Cunha Moura

9) João Cerqueira de Santana Filho

Continua após a publicidade

10) João Vaccari Neto

11) Olívio Rodrigues Junior

12) Marcelo Rodrigues

Publicidade