Clique e assine com 88% de desconto

Deputado vai pedir à PF perícia sobre origem de ato de Maranhão

Por Da Redação - 10 maio 2016, 21h12

Em meio à suspeita de que o presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), tenha sido assessorado pelo governo na elaboração do parecer que anulou o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o deputado Marcos Rogério (DEM-RO) quer acionar a Polícia Federal para fazer uma perícia no documento. Maranhão, antes de dar a decisão, reuniu-se com o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, e o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Segundo Marcos Rogério, há indícios de que o ato não foi feito na Câmara dos Deputados. Ele vai pedir a análise, por exemplo, de onde a ação foi digitada e impressa. “A partir daí chegaremos à conclusão de quem o orientou e quais as motivações. Pode ser um atentado à ordem jurídica. Se não foi feito dentro da Câmara, é algo mais grave do que aparenta ser”, disse o congressista. “Está-se diante de uma situação onde quem representa a União pode estar trabalhando contra um dos poderes da República. A AGU não deve só defender o Executivo, mas também o Legislativo e o Judiciário”, continuou. A advocacia-geral da União ingressou com um mandado de segurança nesta terça-feira pedindo a anulação do processo de impeachment, previsto para ser votado nesta quarta pelo Senado. (Marcela Mattos, de Brasília)

Publicidade