Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

De aliado a adversário, deputado atira contra presidente da Câmara: ‘Honre as calças que veste. Seja homem’

Defensor de Dilma Rousseff, Silvio Costa protestou contra Waldir Maranhão e o chamou de "desmoralizado"

Um dia depois de ser alvo de uma rebelião por parte deputados do DEM e do PSDB, o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), se ausentou nesta quarta-feira dos trabalhos em plenário – mas mesmo assim não foi poupado dos ataques. Dessa vez, o tiroteio partiu daquele que até ontem defendia a legitimidade de Maranhão para comandar a Casa e que articulou, ao lado dele, a tentativa atrapalhada de anular o impeachment de Dilma Rousseff. Irritado com Maranhão, o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) esbravejou em plenário: “Honre as calças que veste. Seja homem”.

Costa apontou para um suposto acordo feito entre ele e aliados do presidente interino Michel Temer para permanecer no comando da Câmara. Maranhão é vice-presidente da Casa e assumiu o posto após o Supremo Tribunal Federal (STF) determinar o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele, no entanto, passou a ser alvo de uma série de investidas de aliados de Temer após tentar barrar o impeachment de Dilma. Sem encontrar saídas regimentais para afastar o novo presidente do cargo, deputados do chamado “centrão” agora tentam, em acordo, esvaziar as suas funções: ele continua na presidência, mas os trabalhos são conduzidos por outro membro da Mesa Diretora. Na terça, a função coube ao segundo vice-presidente, deputado Giacobo (PR-PR).

LEIA TAMBÉM:

Maranhão tentou anular impeachment em troca de apoio do governo

Aliado de Cunha, André Moura será líder do governo Temer na Câmara

“Ele me jurou de pé junto que iria presidir a sessão”, desabafou Silvio Costa, um dos principais defensores de Dilma no Congresso. Para evitar a “fuga” de Maranhão, que tem se mantido recluso na Câmara, o deputado passou o dia monitorando o presidente. Mas ainda assim acabou driblado. “Teve uma hora que eu saí e o homem partiu. Fui tomar um café, ele foi embora”, narrou.

“Waldir Maranhão, eu serei seu aliado enquanto você for homem e assumir a sua postura de homem. Eu não posso apoiar gente desmoralizada, você tem que presidir a sessão. Esse homem foi pra casa, deve estar me ouvindo agora pela TV Câmara. Vou olhar no seu olho, Waldir. Você é desmoralizado. Não honra esta Casa. Honre as calças que veste. Seja homem, Waldir”, discursou Silvio Costa. A assessoria de Maranhão justificou a ausência informando que ele teve um compromisso “reservado”.

Nos bastidores, o receio ao redor de Maranhão é justamente a sua facilidade de flutuar por todos os lados e articular, ao mesmo tempo, com aliados de Dilma e de Temer. Nesta quarta, aliados do presidente interino mudaram o discurso e agora prometem um “cessar-fogo” para Waldir Maranhão. Ele foi indicado à vice-presidência por Eduardo Cunha. Deputados rivais afirmam que, mesmo afastado, Cunha seguirá comandando a Câmara enquanto Maranhão estiver no posto.

Member of The Internet Defense League