Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Ampliação’ da torcida única é uma derrota para o futebol

Isolamento do entorno dos estádios também é uma derrota para o torcedor

A implantação da torcida única durante os clássicos paulistas em 2016 foi uma derrota para o futebol. A solução para a segurança nunca é tirar do torcedor rival a possibilidade de assistir ao seu time no campo do adversário. Mas, para os responsáveis pela segurança, a ideia parece ter dado certo, tanto que pretendem ampliar.

De acordo com o jornalista Claudio Ohata, do UOL, clubes e autoridades estudam ampliar o ideal de torcida única para além dos clássicos paulistas, aumentando para os chamados “jogos de risco”. Em reunião envolvendo presidentes de Palmeiras e São Paulo, além de representantes de Corinthians, Santos, FPF, autoridades policiais e Ministério Público, a ideia é estender isso para jogos como Corinthians x Vasco e Palmeiras x Flamengo, cujas torcidas são “rivais”.
Para Paulo Castilho, representante do Ministério Público paulista, a medida foi um sucesso. ”De 2015 para 2016, houve aumento de público em clássicos de torcida única, de 290 mil para 360 mil pessoas. Houve 11% a mais de mulheres e crianças nessas partidas”, afirmou Castilho.
Além disso, esses jogos tiveram uma redução de 250 policiais militares por jogo.
Outra medida que pode ser aplicada é um cordão de isolamento em estádios como Morumbi, Pacaembu e Arena Corinthians, da mesma forma como aconteceu em jogos do Palmeiras, no Allianz Parque, no fim de 2016.
Caso seja aplicada, essa será mais uma derrota para os torcedores e para o futebol. A área ao redor do estádio é um ótimo local de confraternização entre torcedores, e uma forma de deixar o clube mais próximo do torcedor que, por diversos motivos, não conseguiu ingressos para assistir ao jogo dentro do estádio.
A ideia de que isso é uma prevenção a roubos e outros incidentes é até válida, mas não muito eficaz. Mesmo com isolamento, torcedores em jogos do Palmeiras tiveram objetos roubados durante esses jogos. Isso ainda esvazia uma bonita festa popular, feita pela torcida para seu time.
Caso essa seja a solução para o mundo do futebol, imagino levar isso para outras áreas, como o carnaval de rua. Começar a cobrar ingressos e proibir que não os tem de curtir à festa em praça pública, tudo em nome de uma ilusória segurança.