Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Praga devastadora provoca “crise do tomate” na Nigéria

O preço de uma cesta do alimento saltou de cerca de 4,25 reais para o equivalente a 142 reais

Uma praga destruiu 80% das plantações de tomate na Nigéria e provocou uma forte crise no setor no país africano. Em menos de três meses, o preço de uma cesta de tomates subiu de 1,20 dólares (cerca de 4,25 reais) para mais de 40 dólares (142 reais), de acordo com a rede BBC.

A devastação foi causada por um inseto conhecido como Traça-do-Tomateiro, ou Tuta Absoluta, disse o Comissário da Agricultura Daniel Manzo Maigar. O Estado de Kaduna, onde se localiza boa parte da produção de tomate no país, declarou estado de emergência. No último mês, quando o surto piorou, 200 fazendeiros que plantavam a fruta perderam ao todo 1 bilhão de nairas nigerianas, a moeda local, equivalente a quase 18 milhões de reais.

Oficiais da agricultura foram enviados para o Quênia para se reunir com especialistas na Traça-do-Tomateiro para aprender a lidar com a crise.

Leia também:

Nigéria: resgatada segunda estudante sequestrada pelo Boko Haram Nigéria não exige desculpas de David Cameron – mas quer seu dinheiro de volta

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), grande parte da produção de tomate do país está em Kaduna. A crise afetou inclusive a produção de molho de tomate. A Dagonte Group, empresa pertencente ao homem mais rico da África, Aliko Dangote, suspendeu as atividades no início do mês devido à falta do alimento, relata a revista Forbes.

O tomate é parte fundamental da dieta da maioria dos nigerianos e a palavra foi parar nos termos mais citados do Twitter no país, com as pessoas discutindo o aumento do preço. Nas redes sociais, cidadãos publicaram fotos do festival anual La Tomatina, na Espanha, no qual 20 mil pessoas fazem uma “batalha de tomates” e jogam o alimento umas nas outras. Enquanto alguns apenas expressaram “inveja” do evento europeu, outros julgaram a prática verdadeiramente incorreta por causa do desperdício.

(Da redação)

Member of The Internet Defense League