Clique e assine com 88% de desconto

Papa critica entraves à imigração e diz que Europa está “exausta” e “desgastada”

"O que aconteceu com você, Europa do humanismo, defensora dos direitos humanos, da democracia e da liberdade?", discursou Francisco

Por Da Redação - 6 maio 2016, 13h00

Em discurso nesta sexta-feira, o papa Francisco criticou a Europa, chamando o continente de “exausto” e “desgastado”. O pontífice fez comentários duros sobre as políticas em relação à crise de refugiados e disse sonhar com países “onde ser imigrante não seja um crime”.

Francisco falou durante cerimônia na qual recebeu o Prêmio Carlos Magno, conferido pela cidade alemã de Aachen àqueles que mais contribuíram para os ideais da Europa pós-guerra. No evento, estavam presentes importantes líderes da União Europeia (UE), entre eles a chanceler alemã Angela Merkel, o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi e os presidentes do Parlamento, da Comissão e do Conselho europeus.

“O que aconteceu com você, Europa do humanismo, defensora dos direitos humanos, da democracia e da liberdade? O que aconteceu com você, Europa lar de poetas, filósofos, artistas, músicos e homens e mulheres de letras?”, proferiu o papa em seu discurso.

Leia também:

Continua após a publicidade

Preocupado com a Venezuela, papa Francisco envia carta para Maduro

O argentino, primeiro pontífice não europeu em quase 1.300 anos (o último havia sido o sírio Gregório III), disse que o desejo de uma unidade europeia está desaparecendo. Na crítica, Francisco disse que “somos tentados a ceder aos nossos interesses egoístas e consideramos colocar cercas aqui e ali”. Recentemente, a Áustria e outros países sugeriram reestabelecer cercas nas fronteiras para conter a entrada de refugiados, medida que foi erradicada há 20 anos no continente.

Ao fim de sua fala, o papa desejou uma Europa focada nas famílias e pediu “políticas realmente eficazes, centradas nos rostos mais do que nos números”.

(Com Reuters)

Publicidade