Clique e assine com 88% de desconto

Ministro da Cultura português se demite após ‘polêmica da bofetada’

Por meio do Facebook, João Soares prometeu um "par de bofetadas" a dois jornalistas por críticas à política cultural do governo

Por Da Redação - 8 abr 2016, 18h55

O ministro da Cultura de Portugal pediu demissão nesta sexta-feira depois de uma polêmica envolvendo comentários dele em uma rede social. João Soares disse em um comunicado que não quer criar problemas para o governo de centro-esquerda, que assumiu o poder no país recentemente.

Recentemente, Soares respondeu em sua página no Facebook a dois colunistas do jornal Público, prometendo-lhes um “par de bofetadas” por críticas à política cultural do governo. “Estou a ver que tenho de o procurar, a ele [Augusto M. Seabra] e já agora ao Vasco Pulido Valente, para as salutares bofetadas. Só lhes podem fazer bem. A mim também”, escreveu ele em um post na quinta-feira.

Leia também:

Rebelo de Sousa é eleito presidente de Portugal no 1º turno

Continua após a publicidade

Soares também disse que não abriria mão de sua liberdade de expressão. “Demito-me também por razões que têm a ver com o meu respeito pelos valores da liberdade. Não aceito prescindir do direito à expressão da opinião e palavra”, escreveu em um post no Facebook, depois de ter sido repreendido publicamente por pessoas ligadas ao governo.

Soares, que entrou no governo em novembro, é filho do ex-primeiro-ministro e duas vezes presidente da República Mario Soares, um dos líderes do campo democrático da Revolução dos Cravos.

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, disse que lembra aos membros do seu governo que se “reservem no modo de expressar suas opiniões” e afirmou que não deseja que seus subordinados use uma linguagem “abrasiva”.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade