Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Macedônia envia mais de mil refugiados de volta à Grécia

O grupo havia enfrentado as águas geladas de um rio para atravessar ilegalmente a fronteira, fechada há uma semana, 24 horas antes

A Macedônia enviou de volta à Grécia cerca de mil imigrantes exaustos que haviam enfrentado as águas geladas de um rio para atravessar a fronteira ilegalmente 24 horas antes. Os dois países trocam farpas sobre a situação de um grande contingente de refugiados obrigados a viver em um campo enlameado em Idomeni, na Grécia, depois que a Macedônia fechou a fronteira.

“Todos os imigrantes foram levados outra vez à Grécia. Também todos os outros que cruzaram ilegalmente a fronteira, incluindo os jornalistas”, informou o porta-voz do Ministério do Interior da Macedônia, Toni Angelovski.

De manhã, a polícia tinha recuperado nesse ponto os corpos de três afegãos, dois homens e uma mulher, que morreram afogados arrastados pela correnteza do rio Suva Reka.

“Eles batiam em todo mundo – homens, mulheres, crianças – enquanto diziam ‘vocês vão voltar'”, contou Halad al-Hassan, de 32 anos, um sírio de Raqqa, cidade controlada atualmente pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), segundo reportou o jornal britânico The Guardian. “As pessoas estão chocadas demais para falar”, disse al-Hassan, que já completou 27 dias no campo de refugiados grego. “É muito ruim, muito frio, muito inacreditável. Por que a Macedônia faz isso? Por que a Europa fechou as fronteiras?”.

Leia também:

Em viagem ao Líbano, Angelina Jolie pede apoio a refugiados da Síria

Como as guerras acabam (se é que acabam)

Conflito na Síria completa cinco anos; relembre os principais fatos

Segundo a organização Save the Children, autoridades da Macedônia enviaram as pessoas de volta em caminhões, deixando na fronteira crianças tremendo, molhadas e desorientadas. Os imigrantes deportados tiveram de terminar o percurso até o campo de refugiados grego à pé e sob chuva. Alguns desmaiaram na estrada e precisaram de cuidados médicos, informou a organização.

Na segunda-feira, em Skopje, capital da Macedônia, o representante do Escritório do presidente Gjorge Ivanov disse que o país não permitirá a reabertura da rota dos Bálcãs. “A rota dos Bálcãs está fechada. A Macedônia não permitirá a entrada ilegal de pessoas em seu território “, afirmou Ivica Bocevski.

A Macedônia é uma parte da denominada rota dos Bálcãs dos refugiados e imigrantes que tentam chegar ao norte da Europa, mas as autoridades selaram definitivamente a fronteira há uma semana.

(Da redação)

Member of The Internet Defense League