Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Hillary e Trump estão próximos de se firmarem como os candidatos à sucessão de Obama

Com a consolidação dos votos, já possível afirmar que Hillary e Trump venceram as votações da Super Terça e ganharam força com triunfos expressivos sobre seus rivais

A democrata Hillary Clinton e o republicano Donald Trump se consolidaram como favoritos para serem os candidatos à Presidência dos Estados Unidos por seus partidos com suas grandes vitórias na Super Terça, a jornada de primárias que distribui o maior número de delegados. Nesta quarta, com a consolidação dos votos, já possível afirmar que Hillary e Trump venceram em sete dos onze estados que estavam em jogo para seus respectivos partidos e ganharam força com triunfos expressivos sobre seus rivais.

A ex-secretária de Estado se impôs com resultados superiores a 60% frente ao senador Bernie Sanders em Alabama, Arkansas, Geórgia, Tennessee, Texas e Virgínia, enquanto sua vitória em Massachusetts foi muito apertada. Sanders conseguiu com suas vitórias em Oklahoma, Minnesota, Colorado e Vermont superar as expectativas e ter argumentos suficientes para sustentar que ainda tem chances nas primárias democratas, apesar da liderança de Hillary Clinton.

Leia também

EUA: projeções apontam Trump e Hillary como os vitoriosos na Super Terça

Entenda a Super Terça, que acontece hoje nos EUA

Trump recebe apoio de ex-chefe da Ku Klux Klan. E não reclama

No lado republicano, Trump ganhou com folga em Alabama, Geórgia, Massachusetts e Tennessee, enquanto suas vitórias foram mais apertadas em Arkansas, Vermont e Virgínia. O senador Ted Cruz, com o triunfo em seu Estado, o Texas, e a surpresa em Oklahoma, pôde comemorar e afirmar em seu discurso que é o único que venceu Trump em três ocasiões: as duas de hoje e no Estado de Iowa.

Já Marco Rubio, a aposta do establishment republicano para evitar que o falastrão Donald Trump seja o candidato do partido, teve uma noite para ser esquecida. Rubio, de 44 anos e origem cubana, tinha esperanças na Virgínia e Massachusetts, mas só conseguiu superar Trump em Minnesota, um Estado pouco populoso do Meio Oeste, que não é relevante na contagem final de delegados [entenda as primárias americanas no quadro abaixo].

Virada – Porém, a corrida para Rubio não está perdida e ele tem ainda chances matemáticas de conseguir uma virada – ainda que as chances sejam consideradas exíguas por analistas. A grande prova de fogo de sua campanha será no próximo dia 15, quando ocorrem as primárias na Flórida, Estado pelo qual foi eleito senador e onde uma pesquisa recente dá uma vantagem de 16 pontos sobre o magnata Donald Trump. Além da Flórida, outros quatro grandes Estados realizaram suas prévias no próximo dia 15: Illinois, Missouri, Carolina do Norte e Ohio.

Para continuar com chances na disputa, Rubio deve ganhar na Flórida, enquanto o governador John Kasich prometeu que, se não vencer em seu Estado, Ohio, abandonará a corrida presidencial. Entre os doze estados que votaram nesta terça, além do território de Samoa Americana, falta apenas o resultado das primárias republicanas do Alasca. A disputa está bastante parelha entre Trump e Cruz, segundo as pesquisas.

No lado democrata, Hillary e Sanders disputaram 865 delegados dos 2.383 necessários para conseguir a indicação do partido, enquanto entre os republicanos, Trump, Cruz, Rubio, Kasich e o neurocirurgião aposentado Ben Carson brigaram por 595 delegados do total de 1.237 necessários para obter a candidatura à Casa Branca.

(Da redação)

Member of The Internet Defense League