Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

FBI pagou mais de US$ 1 mi a hackers para acessar iPhone de atirador

O FBI pagou um grupo de hackers profissionais para que o ajudassem a acessar o iPhone utilizado pelo autor do massacre de San Bernardino, na Califórnia, em dezembro do ano passado. A agência de inteligência acessou o telefone de Rizwan Farook, um dos responsáveis pela morte de 14 pessoas no tiroteio em um centro de serviço social.

James Comey, diretor do FBI, foi questionado sobre o valor pago pelo serviço, no Fórum de Segurança Aspen, na quinta-feira: “Muito. Mais do que eu vou ganhar pelo resto do trabalho, que é de sete anos e quatro meses, com certeza”, disse. Segundo dados do FBI e do Escritório de Administração e Orçamento dos Estados Unidos, o salário anual de Comey é de 183,3 mil dólares, o equivalente a 650 mil reais. Portanto, a informação do diretor do órgão indica que o hacker recebeu mais de 1,3 milhão de dólares (4,6 milhões de reais).

Leia também:

Obama destaca aliança com aliados do Golfo, apesar de diferenças sobre Irã

Obama é recebido com frieza na Arábia Saudita

A tentativa do FBI de ter acesso aos dados do celular do atirador gerou uma longa briga judicial entre a Apple e a agência de inteligência. Em fevereiro, o Departamento de Justiça americano expediu uma ordem para que a empresa fosse forçada a desenvolver um software que permitisse o desbloqueio. A gigante de tecnologia se recusou, alegando que isso comprometeria a segurança de milhões de outros usuários.

De acordo com o jornal Washington Post, o confronto teve fim em março, quando o FBI anunciou que havia conseguido acessar o iPhone com a ajuda de terceiros.

(Com Reuters)

Member of The Internet Defense League