Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Exército iraquiano avança para libertar Mosul do Estado Islâmico

Na Síria, as tropas do ditador Bashar Assad tentam retomar a cidade histórica de Palmira

As Forças Armadas do Iraque anunciaram nesta quinta-feira o início de uma operação para libertar a província de Ninawa, no norte do país, sobretudo a capital é Mosul, que está nas mãos do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) desde junho de 2014. Em comunicado lido na emissora de televisão oficial do país, as Forças Armadas detalharam que a chamada Operação “Fatah” (a Conquista) começou em três frentes e representa a “primeira página” da libertação da província, o principal reduto do EI no Iraque.

Os militares pediram que os civis se afastem das instalações do EI em região Al Qayara, a cerca de 50 quilômetros ao sul de Mosul, porque elas “serão alvos destruídos nas próximas horas e dias”. A nota explica que as tropas, apoiadas pela milícia sunita Multidão Popular dos Clãs, avançam em direção “aos objetivos programados para libertar todas as cidades e territórios ocupados pela organização terrorista”.

Leia também

“A mãe do satã”, explosivo preferido do EI, foi usado em Bruxelas

Estado Islâmico treinou mais de 400 terroristas para ataques na Europa

EUA acusam formalmente o Estado Islâmico de genocídio de cristãos

“Os sinais da vitória começaram com a libertação das aldeias de Al Nasr, Kermendi, Kudila e Kharbardan”, afirmou o comunicado, locais onde está a bandeira do Iraque já foi hasteada. O chefe do Comitê de Segurança do Conselho de Ninawa, Mohammed al Bayati, explicou à Agência Efe que as tropas iraquianas contam também com o apoio das tropas curdas peshmergas. As operações contam, além disso, com o respaldo da coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos.

Síria – O Exército da Síria, fiel ao ditador Bashar Assad, chegou aos acessos oeste e sudoeste da cidade histórica de Palmira nesta quinta e voltou a entrar em confronto membros do EI, que controlam a região desde maio do ano passado. Segundo a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), os enfrentamentos, interrompidos durante a madrugada, foram retomados na manhã de hoje em um bairro rural no oeste da cidade.

O EI instalou minas terrestres nas plantações para impedir o avanço das tropas governamentais, que estão recebendo o apoio aéreo de aviões sírios e russos. Na periferia de Palmira, as forças armadas seguem avançando e recuperaram o controle de várias regiões do entorno.

O EI conquistou Palmira, cidade que tem ruínas consideradas como Patrimônio Mundial da Unesco, no dia 20 de maio, após uma ofensiva na qual tomou amplas partes do leste da província de Homs. O grupo terrorista não está incluído no cessar-fogo iniciado na Síria no último dia 27 de fevereiro, um acordo estabelecido pelo regime de Assad, Rússia, Estados Unidos e a Comissão para as Negociações, principal aliança de oposição.

(Da redação)

Member of The Internet Defense League