Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-presidentes Bush pai e filho descartam apoio a Trump

Essa será a primeira vez em que os políticos não se envolverão na candidatura republicana à Casa Branca

Os ex-presidentes americanos George H. W. Bush e George W. Bush descartaram nesta quarta-feira apoiar Donald Trump na corrida presidencial dos Estados Unidos, informou o jornal The Texas Tribune. De acordo a publicação, pai e filho deverão “manter silêncio” durante a campanha que provavelmente terá o magnata como representante dos republicanos nas eleições de novembro.

“Aos seus 91 anos, o presidente Bush pai está afastado da política”, disse ao The Texas Tribune seu porta-voz, Jim McGrath. O político, no entanto, participou recentemente da pré-campanha de seu outro filho, Jeb Bush, que acabou desistindo da disputa das primárias republicanas em fevereiro. Segundo McGrath, isso foi a “exceção que confirma a regra”. O assistente pessoal do ex-presidente Bush filho, Freddy Ford, por sua vez explicou que o ex-mandatário “não planeja participar, nem fazer qualquer comentário sobre a corrida presidencial”.

Leia também:

Jeb Bush ou a incrível história do favorito que encolheu

Como Trump desafiou as previsões da campanha presidencial dos EUA

As eleições presidenciais de 2016 serão as primeiras nas quais os ex-presidentes Bush não se envolverão na candidatura republicana desde que ambos deixaram seus cargos. Em 1996, Bush pai apoiou a campanha de Bob Dole, que tinha sido seu adversário no partido durante muito tempo. E, em 2000 e 2004, promoveu a campanha de seu filho para a Casa Branca. Já em 2008 e 2012, os dois ex-presidentes apoiaram John McCain e Mitt Romney, respectivamente.

Trump – Nesta quarta-feira, Trump se tornou o único pré-candidato republicado para as eleições presidenciais depois de seus concorrentes internos, Ted Cruz e John Kasich, desistirem de suas campanhas. O magnata, no entanto, ainda não foi confirmado oficialmente como o representante do partido para a disputa. Isso deve ocorrer depois de ele conquistar 1.237 delegados (até agora, já acumula 1.053) e ter seu nome aprovado pela maioria dos membros da agremiação.

(Com EFE)

Member of The Internet Defense League