Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-companheira de Morales é detida e investigada por tráfico de influência na Bolívia

A empresária boliviana Gabriela Zapata, ex-companheira do presidente da Bolívia, Evo Morales, e investigada no Congresso por um caso de tráfico de influência, foi detida nesta sexta-feira, informou o Ministério do Interior. “A cidadã Gabriela Zapata Montaño foi detida esta manhã e se encontra nas dependências da FELCC (Força de Luta contra o Crime)”, confirmou o ministério.

Atualmente, Gabriela é gerente comercial da empresa chinesa CAMC, favorecida com milionários contratos com o Estado.

Leia mais:

Mau perdedor: Evo Morales culpa “guerra suja” e redes sociais por derrota em plebiscito

Evo Morales, sua amante, um filho secreto e um escândalo de corrupção

Com 99,7% das urnas apuradas, Bolívia rejeita quarto mandato de Evo Morales

A prisão acontece semanas depois que o jornalista boliviano Carlos Valverde revelou que Gabriela Zapata, de 28 anos, foi companheira de Morales há dez anos e agora é gerente comercial na empresa asiática.

A oposição lançou acusações de tráfico de influências, enquanto o presidente de esquerda, que reconheceu a relação – o casal teve um filho que faleceu com 1 ano de idade -, negou tê-la favorecido com contratos. Tanto a relação como o nascimento do menino eram fatos desconhecidos dos bolivianos.

O próprio Morales se queixou nos últimos dias que esse incidente foi utilizado pela oposição para manchar sua imagem durante a campanha para o referendo de domingo, em que os bolivianos rejeitaram uma reforma constitucional que teria permitido a ele disputar um quarto mandato (2020-2025).

Recentemente, o governo executou uma garantia de 22,8 milhões de dólares em prejuízo da CAMC, por descumprimento do contrato na construção de uma ferrovia.

(Com AFP)

Member of The Internet Defense League