Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Desertor do EI entrega lista com 22 mil nomes de jihadistas, diz TV

Um jihadista identificado pelo nome de Abu Ahmed entregou à rede britânica Sky News um pendrive com nomes de membros do Estado Islâmico vindos de mais de 50 países

Um desertor do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) entregou um dossiê com 22.000 nomes e dados pessoais de jihadistas procedentes de 51 países para ser divulgado pela rede de TV britânica SKY News. O ex-jihadista foi identificado pelo nome fictício de Abu Ahmed e os documentos seriam formulários preenchidos por aspirantes a membros da organização terrorista. De acordo com a emissora, os arquivos estão gravados em um pendrive e foram copiados pelo ex-rebelde, que posteriormente se “desiludiu” com a organização. Até o momento, os governos da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos não confirmaram a autenticidade da lista.

A SKY News informou que vários nomes listados são de pessoas já conhecidas, como Abdel Bary, um rapper de 26 anos originário de Londres e que teria se aliado ao EI em 2013, após viajar pela Líbia, Egito e Turquia. Há também os dados de jihadistas que foram mortos em operações militares ocidentais, como Junaid Hussain, de 21 anos, um hacker de Birmingham que liderava os serviços de informação e recrutamento do EI na Síria. Ele e sua esposa, Sally Jones, teriam planejado uma série de ataques terroristas na Grã-Bretanha. Outro nome é de Reyaad Khan di Cardiff, morto em um ataque em agosto de 2015. Alguns números de telefones na lista ainda estariam ativos e podem ser usados para comunicação entre os jihadistas.

Leia também

EUA capturam principal cientista de armas químicas do Estado Islâmico

Pela 1ª vez, EUA prendem um dos chefes do EI no Iraque

Iraque teme que Estado Islâmico tenha roubado material radioativo

Nesta terça, as forças especiais dos Estados Unidos anunciaram a captura de um membro do EI responsável pelo gerenciamento de armas químicas que integram o arsenal do grupo terrorista. A prisão ocorreu em Iraque, no mês passado. Apesar de Washington manter segredo sobre o nome do detido, o homem teria sido identificado como Sleiman Daoud Al-Afari, de cerca de 50 anos. De acordo com a imprensa, ele teria trabalhado no governo de Sadam Hussein para um setor das Forças Armadas especializado em construir um arsenal de armas químicas e biológicas.

Atualmente, o especialista está detido e passa por interrogatórios na cidade de Erbil, durante os quais teria confessado que o Estado Islâmico usa gás mostarda, relatou o jornal The New York Times citando fontes do Pentágono. Em dezembro, o presidente americano, Barack Obama, colocou em prática uma nova estratégia contra o EI que autoriza operações especiais em territórios controlados pelo grupo desde que sejam para capturar ou matar comandantes do califado. A prisão de Al-Afari foi realizada por um dos comandos especiais, que são a principal força dos EUA no Iraque desde a retirada das tropas, em 2011.

(Da redação, com ANSA)

Member of The Internet Defense League