Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Combatente americano do Estado Islâmico é preso no Iraque

Um combatente americano do grupo extremista Estado Islâmico foi preso no norte do Iraque depois de sair de um território na Síria controlado pelos terroristas, segundo a imprensa americana. O homem se identificou como um ex-membro do EI e, no momento da captura, afirmou que queria se entregar, de acordo com a rede CBS.

A rede CBS News, citando duas fontes da força curda conhecida como peshmerga, informou que o aparente desertor tentava voltar para a Turquia. Ele foi identificado como Muhammad Jamal Amin, de 27 anos, do Estado da Virgínia, segundo o canal de televisão, mencionando organizações jornalísticas curdas.

Leia também:

Confrontros entre Al-Qaeda e Estado Islâmico deixam 22 mortos no Iêmen

Turquia ataca curdos após atentado matar 37 pessoas em Ancara

Nem o Pentágono, nem a embaixada dos EUA em Bagdá confirmaram de imediato o incidente, segundo a CBS. “Estamos em contato com o Iraque e as autoridades curdas para determinar a veracidade dos relatos”, disse um oficial do Departamento de Estado americano.

A rede CNN disse que o combatente foi capturado perto da cidade de Sinjar, no Iraque, e entregue às autoridades curdas da região. Contando com o apoio de bombardeios aéreos americanos, as tropas curdas libertaram Sinjar do controle do Estado Islâmico (EI) em novembro do ano passado. A retomada da cidade foi um importante avanço na luta contra os jihadistas, pois Sinjar fica próxima da rodovia que liga as cidades de Mosul e Raqqa – principais bastiões do EI no Iraque e Síria, respectivamente.

Quando encontraram Amin, as forças peshmerga dispararam tiros de alerta por medo de que ele fosse um homem-bomba, mas ele foi preso afirmando que queria se entregar. O americano, que tem pai palestino e mãe iraquiana, lutou ao lado dos militantes durante alguns meses, segundo a imprensa americana, citando reportagens curdas.

(Com Reuters)

Member of The Internet Defense League