Clique e assine com 88% de desconto

Atentado deixa ao menos vinte mortos em mercado no Paquistão

Outras quarenta pessoas ficaram feridas; ataque a bomba mirou a minoria xiita Hazara

Por Da Redação - 12 abr 2019, 13h54

Um atentado a bomba contra um mercado na cidade de Quetta, no sudoeste do Paquistão, deixou pelo menos vinte pessoas mortas nesta sexta-feira, 12. As autoridades confirmaram que o ataque terrorista mirava a minoria xiita Hazara.

Segundo o porta-voz da polícia, Muhammad Ramzan, a bomba de fabricação caseira estava escondida em um saco de batatas do mercado, que estava lotado no momento da explosão. Cinco dos feridos estão em estado crítico.

Perseguida, a minoria Hazara costuma frequentar o mercado com escolta policial. Nesta sexta, seguranças protegiam o trajeto de um comboio de 55 pessoas, transportadas em onze veículos. “A polícia fechou as portas (do mercado) para que ninguém pudesse entrar”, explicou o inspetor-geral adjunto de Quetta, Abdul Razzaq Cheema.

Nesta sexta, como habitual, seguranças protegiam o trajeto de um comboio de 55 pessoas, transportadas em onze veículos. “A polícia fechou as portas (do mercado) para que ninguém pudesse entrar”, explicou Cheema.

Continua após a publicidade

As investigações preliminares expuseram as falhas da medida preventiva, indicando que a bomba tinha sido colocada antes que o grupo chegasse ao mercado.

Em resposta, Ziaullah Langove, o ministro de Interior da província de Baluchistão, onde ocorreu o atentado, rejeitou a versão de que a minoria étnica era o alvo do ataque. Já o primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, não comentou a questão e se limitou a condenar o atentado, pedindo que os “feridos recebam o melhor tratamento possível”.

Perseguição

A minoria xiita Hazara, que conta com 3 milhões de pessoas, é originária do centro da Ásia e foi perseguida durante décadas no Afeganistão, onde está mais concentrada. Milhares de seus membros foram assassinados no fim dos anos 1990 pela Al Qaeda e pelos talibãs, grupos de fundamentalismo sunita. 

Fugindo da opressão, a comunidade se espalhou pelo Oriente Médio, migrando majoritariamente para Irã e Paquistão, onde continuam sofrendo o mesmo tipo de intolerância.

Continua após a publicidade

Em 2013, três massacres em bairros xiitas e hazaras das cidades de Quetta e Karachi causaram mais de 250 mortes. Quetta, capital da província de Baluchistão, é uma das localidades mais conflituosas do Paquistão, com a presença de grupos armados separatistas, facções talibãs e células jihadistas.

Em julho do ano passado, a cidade foi palco de um atentado durante um comício de campanha para as eleições gerais, no que foi o pior ataque da história do país, com 149 mortos.

(com Agência EFE)

Publicidade