Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A história da foto que marcou os atentados de Bruxelas

A imagem de uma mulher coberta de sangue foi tirada pela jornalista da Geórgia, Ketevan Kardava, que estava no aeroporto para pegar um voo com destino a Genebra

A foto de uma mulher com o rosto coberto de sangue, a blusa rasgada e os pés machucados se tornou rapidamente o retrato mais emblemático dos atentados que atingiram a Bélgica na terça-feira. A imagem foi registrada pela jornalista Ketevan Kardava, correspondente da emissora Georgian Public Broadcaster, no aeroporto internacional de Bruxelas e publicada por todo o mundo, inclusive na primeira página do jornal The New York Times.

Ketevan esperava por seu voo para Genebra para cobrir as negociações entre Rússia e seu país natal, Geórgia, quando a primeira explosão atingiu o aeroporto. “Tudo estava coberto de pó e fumaça. Ao meu redor havia dezenas de pessoas sem pernas, cobertas de sangue”, contou a jornalista à revista Time. Menos de um minuto depois, o segundo terrorista detonou seu cinto de explosivos, “e as pessoas começaram a correr desesperadas para fora do prédio”, conta a jornalista.

Leia mais:

Bélgica: Em carta de despedida, terrorista reclama de fugas constantes

Bélgica faz um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do terror

FBI envia agentes a Bruxelas para investigar ataques terroristas

“Eu queria correr para um lugar seguro também, mas também queria tirar fotos. Como jornalista, era meu dever tirar essas fotos e mostrar ao mundo o que estava acontecendo.” A primeira imagem que capturou foi a da mulher de jaqueta amarela. “Ela estava em choque, sem palavras”, descreveu a jornalista à revista americana. Ketevan não perguntou o nome da mulher. Ela também fotografou outra vítima, o ex-jogador de basquete brasileiro naturalizado belga, Sebastien Bellin, antes de ser forçada a deixar o aeroporto. “Deixei-os e fui para um lugar mais seguro”, explica ela. “Espero que eles estejam bem.”

(Da redação)

Member of The Internet Defense League