Clique e assine com 88% de desconto

Verstappen revela ansiedade por promoção à Red Bull: ‘Fiquei três noites sem dormir’

O piloto de 18 anos foi envolvido em uma troca com o piloto russo Daniil Kvyat, que foi "rebaixado" para a Toro Rosso, equipe inferior da Red Bull

Por Da Redação - 10 maio 2016, 16h15

A estreia de Max Verstappen pela Red Bull está cada vez mais próxima, prevista para acontecer no próximo domingo, no Grande Prêmio da Espanha, e o holandês de 18 anos – que se tornou no ano passado o piloto mais jovem a correr na Fórmula 1 – mostrou ansiedade com a promoção da Toro Rosso, sua antiga equipe, para a parceira e principal escuderia Red Bull. “Para ser honesto, fiquei três noites sem dormir. Eu estava muito motivado para ir direto para a Red Bull, que é uma equipe grande e na qual existe chance maior de subir ao pódio”, disse ao canal holandês Ziggo Sport.

Verstappen fez sua estreia na Fórmula 1 no GP da Austrália, em 2015, com apenas 17 anos. Em sua primeira temporada, foi o líder de ultrapassagens e somou 49 pontos, terminando em 12º lugar no Mundial. Apesar de estar ansioso – e mais pressionado por estar em uma equipe de mais peso no circuito – o piloto holandês diz que vai seguir focado e surpreendendo nas pistas. “Se você acelerar o carro, não há nada com o que possa se preocupar, e é isso que eu preciso fazer. Se não fizer isso, o esperado é que você esteja fora. A pressão não muda. Estando em um carro mais ou menos competitivo, você precisa dar o seu melhor sempre”, finalizou o piloto.

Troca – Max Verstappen e Daniil Kvyat foram envolvidos em uma troca: o russo foi “rebaixado” para a Toro Rosso por se envolver em algumas batidas que poderiam ter sido evitadas, enquanto o holandês foi promovido para a Red Bull.

A decisão de colocar Kvyat na equipe inferior ocorreu depois de o piloto bater duas vezes no carro de Sebastian Vettel, no GP da Rússia, deixando o rival da Ferrari fora da corrida logo na primeira volta. Antes disso, Kvyat também havia se envolvido em outro incidente com Vettel no GP da China, desta vez indiretamente: o piloto alemão bateu em seu companheiro de equipe, Kimi Raikkonen, após Kvyat tentar uma ultrapassagem agressiva logo na primeira curva.

Continua após a publicidade

Leia também:

Campeão, Hamilton abre mão de número 1 no carro

Massa elogia mudanças na Williams: ‘Parece uma equipe nova’

Se quiser ficar, Raikkonen terá de ‘mostrar serviço’, diz chefe da Ferrari

Continua após a publicidade

(Com Gazeta Press)

Publicidade