Clique e assine com 88% de desconto

Vasco cede empate no fim à Chapecoense e se complica

Pênalti duvidoso tirou uma vitória que parecia certa para os cariocas

Por Da Redação - 15 out 2015, 23h50

Um pênalti duvidoso aos 40 minutos do segundo tempo tirou uma vitória que daria fôlego novo ao Vasco na luta contra o rebaixamento. Em jogo pela 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro, o time carioca ficou no empate com a Chapecoense por 1 a 1, nesta quinta-feira, no estádio do Maracanã, no Rio. O jogo também ficou marcado por um toque de mão de Tiago Luís dentro da área no fim do jogo, mas ignorado pelo árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro, que deixou o gramado sob protestos de jogadores e torcida. Com o empate, o Vasco permanece na 18.ª posição, com 28 pontos. Já a Chapecoense foi para 35 e assumiu a 14.ª colocação. Na próxima rodada, o Vasco terá pela frente o São Paulo, no Morumbi, neste domingo. No mesmo dia, a Chapecoense vai enfrentar o Grêmio, em Porto Alegre.

Os primeiros 15 minutos de jogo deram a impressão de que o Vasco teria vida fácil no confronto. De forma bem agressiva, a equipe se lançou ao ataque e encurralou a Chapecoense no campo de defesa. Com o adversário bem fechado, o nervosismo crescia a cada minuto e também o surgimento de falhas defensivas. Em uma delas, o goleiro Jordi saiu errado e deixou o gol livre para Túlio de Melo. Por sorte, o árbitro marcou impedimento. Minutos depois, ele se redimiu e fez bonita defesa na tentativa de Ananias.

Na etapa final, o Vasco voltou a assustar a torcida. Aos 12 minutos, Túlio de Melo marcou de cabeça, mas a arbitragem marcou falta do atacante e anulou o gol. Passado o susto, os cariocas reagiram e voltaram a dominar o jogo. Poderia ter feito aos 24, com Andrezinho, em belo passe de Nenê, mas o meia parou na boa defesa de Danilo.

Aos 26 minutos, Nenê cobrou escanteio e Rodrigo marcou de cabeça: 1 a 0. A defesa catarinense pediu a marcação de uma falta, mas o árbitro ignorou. O Vasco esfriou a partida e a Chapecoense parecia não ter forças. Porém, aos 40, a arbitragem entrou em ação ao marcar pênalti por um toque de mão de Rodrigo, em cruzamento despretensioso. Bruno Rangel cobrou e empatou o jogo. Dois minutos mais tarde, mesma cena. Tiago Luís tentou de cabeça, mas acertou a mão na bola. A diferença é que desta vez o árbitro nada marcou, para a ira de torcida e jogadores, que protestaram ao final da partida.

Continua após a publicidade

(Com Gazeta Press)

Publicidade