Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vasco cede empate no fim à Chapecoense e se complica

Pênalti duvidoso tirou uma vitória que parecia certa para os cariocas

Um pênalti duvidoso aos 40 minutos do segundo tempo tirou uma vitória que daria fôlego novo ao Vasco na luta contra o rebaixamento. Em jogo pela 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro, o time carioca ficou no empate com a Chapecoense por 1 a 1, nesta quinta-feira, no estádio do Maracanã, no Rio. O jogo também ficou marcado por um toque de mão de Tiago Luís dentro da área no fim do jogo, mas ignorado pelo árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro, que deixou o gramado sob protestos de jogadores e torcida. Com o empate, o Vasco permanece na 18.ª posição, com 28 pontos. Já a Chapecoense foi para 35 e assumiu a 14.ª colocação. Na próxima rodada, o Vasco terá pela frente o São Paulo, no Morumbi, neste domingo. No mesmo dia, a Chapecoense vai enfrentar o Grêmio, em Porto Alegre.

Os primeiros 15 minutos de jogo deram a impressão de que o Vasco teria vida fácil no confronto. De forma bem agressiva, a equipe se lançou ao ataque e encurralou a Chapecoense no campo de defesa. Com o adversário bem fechado, o nervosismo crescia a cada minuto e também o surgimento de falhas defensivas. Em uma delas, o goleiro Jordi saiu errado e deixou o gol livre para Túlio de Melo. Por sorte, o árbitro marcou impedimento. Minutos depois, ele se redimiu e fez bonita defesa na tentativa de Ananias.

Na etapa final, o Vasco voltou a assustar a torcida. Aos 12 minutos, Túlio de Melo marcou de cabeça, mas a arbitragem marcou falta do atacante e anulou o gol. Passado o susto, os cariocas reagiram e voltaram a dominar o jogo. Poderia ter feito aos 24, com Andrezinho, em belo passe de Nenê, mas o meia parou na boa defesa de Danilo.

Aos 26 minutos, Nenê cobrou escanteio e Rodrigo marcou de cabeça: 1 a 0. A defesa catarinense pediu a marcação de uma falta, mas o árbitro ignorou. O Vasco esfriou a partida e a Chapecoense parecia não ter forças. Porém, aos 40, a arbitragem entrou em ação ao marcar pênalti por um toque de mão de Rodrigo, em cruzamento despretensioso. Bruno Rangel cobrou e empatou o jogo. Dois minutos mais tarde, mesma cena. Tiago Luís tentou de cabeça, mas acertou a mão na bola. A diferença é que desta vez o árbitro nada marcou, para a ira de torcida e jogadores, que protestaram ao final da partida.

(Com Gazeta Press)

Member of The Internet Defense League