Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Time de Felipão na China contrata colombiano por valor recorde

Guangzhou Evergrande pagou 42 milhões de euros para tirar Jackson Martínez do Atlético de Madri

O futebol chinês ainda não se cansou de contratar. No fechamento das principais janelas de transferências da Europa, foi definida nesta terça-feira a maior transação de 2016: o atacante colombiano Jackson Martínez trocou o Atlético de Madri, da Espanha, pelo Guangzhou Evergrande, equipe chinesa dirigida pelo técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari, por 42 milhões de euros (cerca de 183 milhões de reais).

A ida de Martínez para o pentacampeão chinês se tornou também a da transferência mais cara da história do futebol asiático, superando a do brasileiro Ramires, que trocou o Chelsea pelo Jiangsu Suning por 25 milhões de libras (144 milhões de reais). Martínez chega ao time de Felipão para suprir as saída dos brasileiros Elkeson, que se transferiu para o rival Shanghai SIPG, por 25 milhões de euros (cerca de 110 milhões de reais), e Robinho, que ainda busca um novo clube.

Leia também:

‘Reis’ brasileiros na Ásia garantem que jogar na China vale a pena

Felipão é um dos cotados para assumir a seleção chinesa

Luxemburgo: ‘China não é barco furado, é transatlântico’

Com Martínez, de 29 anos, o mercado chinês consolida seu interesse por jogadores sul-americanos. Depois da debandada brasileira que levou Jadson, Renato Augusto, Gil, Luis Fabiano, Geuvânio e Ramires à China, foram contratados colombianos de destaque na Europa: o volante Fredy Guarín (trocou a Inter de Milão pelo Shanghai Shenhua), o atacante Fredy Montero (do Sporting para o Tianjin Teda), além do próprio Martínez, que não se adaptou ao Atlético em sua primeira temporada na Espanha.

Também há um interesse crescente dos clubes chineses em atletas africanos. Em 2016, o camaronês Stéphane Mbia (ex-Trabzonspor, da Turquia) e o marfinense Gervinho (ex-Roma) foram contratados pelo Hebei China Fortune.

(da redação)

Member of The Internet Defense League