Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rio-2016: Maria Elisa, do vôlei de praia, é pega no doping

CBV confirmou que a reserva da seleção que disputará a Olimpíada testou positivo para o diurético hidroclorotiazida. Ela deve ser suspensa preventivamente.

A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) e a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) confirmaram nesta segunda-feira que Maria Elisa Antonelli foi flagrada no exame antidoping. De acordo com comunicado divulgado pelas entidades, a jogadora de vôlei de praia de 34 anos testou positivo para o diurético hidroclorotiazida.

Com as duplas Talita/Larissa e Ágatha/Bárbara Seixas classificadas para os Jogos Olímpicos, Maria Elisa e sua parceira, Juliana, são as reservas da equipe brasileira no Rio. Com o anúncio do doping, no entanto, sua participação no evento é incerta. No último fim de semana, Juliana atuou ao lado de Rebecca Silva na etapa de Fortaleza do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia.

Leia também:

Estrutura, zika, doping, terrorismo… As ameaças à Rio-2016

Wada altera norma sobre Meldonium e atletas poderão ser perdoados por doping

O doping volta com tudo em 2016; relembre casos históricos

Segundo revelaram a ABCD e a CBV, Maria Elisa testou positivo em teste fora de competição realizado no dia 10 de março. A atleta, então, pediu que a amostra B de sua urina fosse aberta, o que aconteceu na última sexta-feira. E a nova análise repetiu o resultado da primeira. “Considerando-se este resultado, configurou-se o resultado positivo da atleta em controle de dopagem”, explicou o comunicado.

O processo foi encaminhado nesta segunda-feira para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Voleibol, que deve analisar o caso e se posicionar em breve. A tendência é que Maria Elisa seja suspensa preventivamente até ir a julgamento.

(com Estadão Conteúdo)

Member of The Internet Defense League