Clique e assine com 88% de desconto

Presidente da Ucrânia apoia jogador chamado de nazista na Espanha

Gritos da torcida do Rayo Vallecano contra Roman Zozulya, do Albacete, causaram a suspensão do jogo. Segundo governo ucraniano, ele é apenas "um patriota"

Por - Atualizado em 30 dez 2019, 14h46 - Publicado em 16 dez 2019, 18h43

O presidente da Ucrânia, Vladimir Zelenski, manifestou apoio nesta segunda-feira 16 ao jogador de futebol Roman Zozulya, do Albacete, que foi chamado de nazista pela torcida do Rayo Vallecano, em episódio que culminou na suspensão da partida válida pela segunda divisão do Campeonato Espanhol no último domingo 15.

“Roman Zozulya, não só a tua equipe te apoia, como toda a Ucrânia! Você não é apenas um grande jogador de futebol, mas um verdadeiro patriota que ama o seu país e ajuda os nossos soldados. Nós estamos com você! Eu te estendo a mão”, escreveu Zelenski no Twitter.

Mais cedo, o Ministério de Relações Exteriores ucraniano condenou fortemente o que chamou de manifestações de intolerância e agressão verbal contra o atacante de 30 anos. A diplomacia disse que os insultos foram fabricados e são infundados e os ligou à propaganda russa, que acusa os nacionalistas ucranianos de terem tomado o poder em Kiev em 2014.

Continua após a publicidade

As autoridades ucranianas sempre elogiaram Zozulya por ter criado um fundo para ajudar os militares que combatem no leste da Ucrânia e por ter doado dinheiro para reconstruir um hospital onde soldados feridos são reabilitados em Donbass, palco de um conflito entre o exército ucraniano e as milícias pró-russas desde 2014.

Entenda o caso Zozulya

O incidente remonta a fatos ocorridos há dois anos. Em 2017, Zozulya foi contratado pelo próprio Rayo Vallecano, pequeno clube de Madri conhecido por ter uma das torcidas mais progressistas do mundo, com campanhas constantes contra racismo e homofobia. O jogador, hoje com 30 anos, no entanto, teve seu contrato rescindido devido à pressão da torcida organizada Bukaneros, que não aceitou suas ligações com movimentos de ultradireita da Ucrânia e alguns gestos de apoio ao nazismo, escancarados em postagens antigas nas redes sociais.

No domingo, o jogador teve uma recepção especial no reencontro. Faixas como “Zozulya não é bem-vindo” e gritos como “Zozulya, p… nazista” foram vistos e ouvidos na primeira etapa, que terminou empatada em 0 a 0. O jogador deixou o campo em Vallecas provocando a torcida ao colocar a mão no ouvido, como se pedisse mais insultos.

Em seguida, o Albacete se negou a voltar ao campo e a arbitragem optou por paralisar a partida. Foi a primeira vez que um jogo foi suspenso na Espanha devido a reações das arquibancadas.

Continua após a publicidade

Publicidade