Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pep Guardiola: ‘Se pudesse, teria jogado pela Catalunha’

Como jogador, defendeu a Espanha em 47 partidas, mas declarou seu apoio às causas separatistas da Catalunha quando virou treinador

O técnico Pep Guardiola voltou a causar controvérsia na Espanha nesta terça-feira. Natural de Santpedor, uma província catalã, o treinador do Bayern de Munique, disse que, se pudesse, teria jogado pela seleção da Catalunha e não da Espanha. “Se tivesse existido um Estado catalão eu teria jogado com a seleção da Catalunha porque sou de Santpedor, mas naquele momento isso ainda não era viável”, disse ao jornal da campanha Guaneyrem (Ganharemos, em catalão) de apoio ao esporte da região.

Leia também:

Piqué é vaiado em jogo da Espanha e reacende discussão sobre nacionalismo

‘Brasil deve ser treinado por um brasileiro’, diz Guardiola

Barcelona e Real Madrid disputam muito mais do que um jogo

Guardiola, que sempre se mostrou a favor da realização de consultas e plebiscitos de independência da Catalunha, desdenhou críticas. “Se alguém se incomoda por minha participação nesse processo, não é problema meu.” O treinador de 44 anos ainda respondeu diretamente às acusações do ministro do Interior da Espanha, Fernandez Díaz, que disse que Guardiola defendeu a seleção espanhola por questões financeiras.

“Não foi assim. O dia que eu cruzar com o senhor Fernandez Díaz lhe explicarei que não fui por dinheiro. Aliás, paguei meus impostos desde o primeiro até o último dia de minha carreira, coisa que nem todos os políticos podem dizer.” Guardiola diz ter vestido a camisa da Espanha com orgulho. “A seleção da Espanha estava me convocando e fiquei encantando em desempenhar o meu jogo no mais alto nível”. Ele disputou 47 partidas pela seleção espanhola: foi campeão dos Jogos Olímpicos de 1992, em Barcelona, pela Espanha, jogou a Copa de 1994 e a Eurocopa de 2000.

Piqué – As declarações de Guardiola incendiaram ainda mais a controvérsia recente que envolve o zagueiro Gerard Piqué, do Barcelona. O marido da cantora Shakira vem sendo vaiado e ofendido constantemente nas partidas da seleção espanhola por torcedores que contestam seu “amor à pátria”. Assim como seu ex-treinador, Piqué é catalão, constantemente é visto nas manifestações populares na Catalunha, e, para piorar, acumula brigas com o rival Real Madrid.

As reclamações cresceram nos últimos meses e vários colegas, inclusive o capitão do Real Madrid, Sergio Ramos, saíram em defesa de Piqué. “Todos sabemos como ele é e não vamos conseguir mudá-lo. Aqui todos somos espanhóis e representamos o país e estas vaias não ajudam em nada”, disse Ramos na segunda-feira. Piqué foi campeão europeu e mundial pela Espanha. Ele também disputou alguns amistosos pela seleção catalã – como a região faz parte do território espanhol, a equipe não é reconhecida pela Fifa e se reúne apenas para amistosos (já enfrentou a seleção brasileira quatro vezes).

Piqué com Milan, seu filho com Shakira, em manifestação popular na Catalunha

Piqué com Milan, seu filho com Shakira, em manifestação popular na Catalunha (/)

(da redação)

Member of The Internet Defense League