Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Palmeiras e Santos acirram rivalidade e decidem Copa do Brasil

Equipe do litoral venceu a ida por 1 a 0 e joga pelo empate diante da esperançosa torcida alviverde. Duelo foi apimentado com brigas e provocações

A intensa rivalidade entre Palmeiras e Santos em 2015 chegará a seu capítulo final nesta quarta-feira, a partir das 22h (de Brasília), no Allianz Parque, em São Paulo. A equipe do litoral venceu a partida de ida por 1 a 0 e jogará pelo empate para tentar conquistar seu segundo título sobre o rival no ano – em maio, conquistou o Paulistão, em decisão por pênaltis. O Palmeiras, time que mais investiu na temporada, vive momento conturbado, mas tem uma grande chance de salvar o ano com um título e uma vaga automática na Copa Libertadores de 2016. Ansiosa por um novo período de glórias, a torcida palmeirense lotará sua reformada arena para o duelo cercado de tensão e provocações. Qualquer vitória do Palmeiras por um gol de diferença levará a decisão para as penalidades.

Santos lamenta gols perdidos e Palmeiras reclama do juiz

O título da Copa do Brasil é o único caminho de ambos para chegar à Libertadores, já que no Campeonato Brasileiro os times já não têm mais chances de alcançar o G4. Os ânimos já estavam bastante acirrados antes do primeiro duelo e o clima ficou ainda mais quente após a vitória santista na Vila Belmiro, com gol de Gabriel, o artilheiro da competição com oito gols. Os palmeirenses se revoltaram com a arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira, que não marcou um pênalti de David Braz em Lucas Barrios, e também com a postura de alguns atletas rivais.

Lucas Lima e Ricardo Oliveira foram os mais criticados pelos palmeirenses. No fim, quem acabou expulso foi o lateral-direito Lucas, do Palmeiras, após jogar a bola em Lucas Lima. Declarações dos dois lados também apimentaram a decisão e fizeram com que os dois técnicos tivessem que colocar um freio nas provocações. Tanto Dorival Júnior como Marcelo Oliveira temem que o excesso de vontade de seus atletas desestabilize as equipes.

O atacante palmeirense Rafael Marques jogou lenha na fogueira ao ironizar o público de pouco mais de 14.000 pessoas que assistiu à decisão na Vila Belmiro, conhecido como “alçapão”. “Se meia dúzia de gatos pingados é alçapão, 40.000 será o que?”, provocou nas redes sociais. Quando parecia que não havia mais como esquentar o jogo, uma editora publicou na segunda-feira um pôster do Santos campeão, algo que deixou os atletas do Palmeiras ainda mais motivados.

Marcelo Oliveira, porém, garante que não partirá dele a ideia de usar as provocações. “Não gosto disso e não utilizo essas coisas. Acho que o jogador já vai muito pilhado naturalmente. Temos de ocupar espaço e dividir todas as bolas”, alertou o palmeirense. No Santos, o goleiro Vanderlei entrou no clima e também provocou o rival. “Cada um fala o que quer. Não pensamos em polêmica. A equipe do Palmeiras que foi à Vila perdeu. O Palmeiras nem jogou, só ficou se defendendo”, ironizou, em referência à primeira partida.

Protagonistas – O goleiro palmeirense Fernando Prass e o atacante santista Ricardo Oliveira simbolizam a forte rivalidade entre as equipes no ano. No primeiro jogo da decisão, Prass levou a melhor, apesar da derrota. Ricardo Oliveira teve duas grandes oportunidades de marcar, mas parou nas mãos de Prass. No jogo anterior, após troca de acusações e discussões entre os dois experientes atletas, o santista fez um gol e comemorou fazendo careta. Depois, negou que tivesse sido uma provocação ao rival com uma explicação que não convenceu os palmeirenses.

Na ocasião, Prass acusou o adversário de lhe dar um soco nas costas. Recentemente, o goleiro disse não ter mágoas de Ricardo Oliveira e ambos chegaram a se cumprimentar antes do primeiro jogo começar, mas sem muita euforia. Já mais perto do fim de carreira, os dois veem na Copa do Brasil a chance ideal para marcar seus nomes na história dos clubes. “Passei por toda a transformação. Cheguei, joguei uma Série B, subimos, quase caímos novamente, e agora ver o Palmeiras disputando títulos é algo espetacular”, afirmou Prass, de 37 anos, que está no clube desde 2013.

Fernando Prass e Ricardo Oliveira, os protagonistas da rivalidade entre Palmeiras e Santos

Fernando Prass e Ricardo Oliveira, os protagonistas da rivalidade entre Palmeiras e Santos (/)

Escalações – Os dois técnicos optaram por treinamentos fechados à imprensa, mas ambos não têm muito o que esconder. Marcelo Oliveira não poderá contar com Lucas, suspenso, e vai escalar o jovem lateral-direito João Pedro. Lesionado no primeiro jogo, o jovem Gabriel Jesus foi relacionado e pode começar jogando. No Santos, Dorival Júnior não tem desfalques e deve repetir a formação da primeira partida.

Palmeiras: Fernando Prass; João Pedro, Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto; Matheus Sales e Arouca; Dudu, Robinho e Gabriel Jesus (Rafael Marques); Lucas Barrios.

Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Gabriel, Ricardo Oliveira e Marquinhos Gabriel.

(da redação)

Member of The Internet Defense League