Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pai de Neymar diz que problemas com o fisco podem tirar o atacante do Barcelona

Neymar da Silva Santos defende o trabalho feito pela empresa da família desde 2006, nega fraude fiscal e diz que não se sente tranquilo na Espanha

Neymar da Silva Santos, o pai de Neymar, defendeu-se das acusações de fraude fiscal e colocou em xeque a permanência do filho no Barcelona pela primeira vez desde a chegada da família à Espanha, em 2013. O argumento defendido pelo pai e agente do craque se refere aos problemas que vem enfrentando com a Justiça espanhola. “Não temos tranquilidade tributária para ficar na Espanha. Estamos negociando a renovação com o Barcelona, meu filho está muito feliz no clube, mas estamos recebendo muitos ataques, na Espanha e no Brasil, desde que chegamos. Se não temos uma situação confortável para trabalhar, não podemos”, disse em entrevista à radio Cadena Ser.

Leia também:

Justiça espanhola aceita nova denúncia de fraude na venda de Neymar

Neymar ostenta nova Ferrari: ‘Fruto do meu trabalho’

Receita apreendeu Porsche de Neymar por suspeita de irregularidade

Justiça suspende acesso de fundo aos documentos da venda de Neymar

As contas e declarações de imposto de renda do jogador vêm sendo investigadas no Brasil e na Espanha. Recentemente, a Receita Federal brasileira confiscou um Porsche e bloqueou mais 188,8 milhões de reais das contas do jogador por uma acusação de fraude cometida entre 2011 a 2013. Da mesma forma, os agentes tributários da Espanha apuram a negociação que levou Neymar do Santos para o Barcelona. Nesse caso, além do jogador, também estão envolvidos dirigentes do time catalão, o próprio clube, a família do atacante e a empresa que cuida de sua imagem, a N&N Consultoria, criada por Neymar dos Santos em 2006.

Por tudo isso, o pai de Neymar declarou que a condição de seu filho, e da própria família, em Barcelona não é confortável. O jogador se diz feliz ao lado de Lionel Messi, Luis Suárez e companhia, e tem contrato até o fim da temporada de 2018, mas já começou a negociar uma prorrogação do vínculo. “Estamos tratando disso, mas há situações que precisam ser resolvidas, há pendências e queremos um pouco de tranquilidade. Queremos ficar por dois, três, quatro, cinco ou dez anos mais. Mas não sabemos se estamos fazendo a coisa certa. É muito difícil.”

O pai do craque revelou que a família pretende solucionar as situações pendentes com o fisco, mas admitiu que há certos desentendimentos em relação às leis espanholas. “Não quero falar de perseguição, mas se não temos como trabalhar, não podemos ficar. Se estamos causando problemas, não podemos permanecer. A imagem de Neymar já vinha sendo trabalhada no Brasil e agora não sabemos como nos portar. Queremos uma consulta definitiva porque não queremos ficar aqui vários anos e depois sermos pegos de surpresa porque a Justiça considera que nossa estrutura não está correta. “

Sandro Rosell, presidente do Barcelona, com Neymar, na apresentação do jogador ao clube, em 2013

Sandro Rosell, presidente do Barcelona, com Neymar, na apresentação do jogador ao clube, em 2013 (/)

Investigações – A nebulosa transferência de Neymar para o Barcelona é alvo de dois processos na Espanha, um do fisco espanhol, que tramita em Barcelona, e outro a pedido da empresa brasileira DIS, na capital Madri, acolhido pela Audiência Nacional da Espanha. A DIS detinha 40% dos direitos econômicos do atleta e se sentiu lesada ao tomar conhecimento sobre os reais valores da transação. A DIS e o Santos alegam que a N&N, empresa dos pais de Neymar e que gere a carreira do atleta, forjou contratos com o Barcelona para ficar com a maior parte do dinheiro da venda.

O Barcelona alegou inicialmente ter desembolsado 57,1 milhões de euros para tirar Neymar do Santos. No entanto, meses depois, o clube admitiu ter gasto um valor bem maior, que ronda os 100 milhões de euros, dos quais 40 milhões foram para a empresa dos pais de Neymar, sem o conhecimento do DIS e do Santos – o clube respondia por 55% dos direitos e os 5% restantes pertenciam ao grupo de investidores Teísa. A revelação provocou a renúncia do então presidente do Barcelona, Sandro Rosell. A N&N admite ter recebido o valor, mas nega irregularidades.

(da redação)

Member of The Internet Defense League