Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Organizada do São Paulo protesta por 6 a 1; diretoria e atletas admitem ‘vergonha’

Maior derrota da história diante do rival Corinthians causou revolta em torcedores, que chegaram a atirar pedras contra o ônibus da equipe

A goleada por 6 a 1 diante do maior rival, naturalmente, abalou o ambiente do São Paulo. Após a humilhante derrota para o Corinthians em Itaquera, dirigentes e jogadores da equipe tricolor falaram em “vergonha”. Horas depois, protestos foram registrados no centro de treinamento do time, na Barra Funda: cerca de 100 membros de uma torcida organizada foram até o local para receber a delegação que voltava da zona leste e protestar de forma violenta – com direito a pedradas.

Revoltados com a maior goleada sofrida na história para o rival, os torcedores pediram a renúncia do vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, e ocuparam um terreno ao lado do CT para disparar rojões para dentro da área do clube. Quando a delegação do São Paulo chegou, os torcedores atiraram pedras e quebraram janelas do ônibus. A Polícia Militar precisou fechar a Avenida Marquês de São Vicente e escoltou a saída dos jogadores, em seus carros, pela contramão da via.

Apesar da goleada histórica, o São Paulo permaneceu no G4 do Brasileirão ao término da rodada. O time tricolor ocupa a quarta colocação, com os mesmos 56 pontos do Internacional, que está em quinto e tem pior saldo de gols (4 a -1). A equipe do técnico interino Milton Cruz volta a campo no próximo sábado, às 17 horas, contra o Figueirense, no estádio do Morumbi, na capital paulista.

Decepção – Alguns integrantes do São Paulo encararam a imprensa após a frustração. Alvo da torcida, o vice-presidente Ataíde Gil Guerreiro afirmou que deve anunciar o nome do novo treinador ainda nesta semana e prometeu cobrar os atletas depois da goleada. “É lamentável, estamos todos envergonhados. Tem que haver cobrança sim, perder de 6 a 1 para o Corinthians…Vamos partir para uma reação”, afirmou Guerrero. O meia Michel Bastos disse que jamais havia sofrido uma goleada semelhante em sua carreira, mas manteve as esperanças de classificação à Libertadores.

“É frustrante. Não é o momento de vermos quem está errado ou não. Somos todos nós os culpados, temos que assumir essa responsabilidade. Eu assumo, tenho que me desculpar com o torcedor e pedir para que eles acreditem que nessas duas últimas rodadas nós vamos conseguir a Libertadores”, declarou o meia com passagem pela seleção brasileira.

“Ficamos envergonhados pela forma como foi. Infelizmente, tomamos três gols que decidiram a partida, em três bolas paradas. Ficamos muito tristes pela derrota. Estamos brigando diretamente pela vaga no G4”, comentou o zagueiro Rodrigo Caio.

(com Gazeta Press e Estadão Conteúdo)

Member of The Internet Defense League