Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No sufoco, São Paulo se classifica para a Libertadores

Equipe brasileira garantiu vaga na fase de grupos do torneio continental com vitória magra de 1 a 0 sobre o César Vallejo, do Peru, no Pacaembu

O São Paulo passou sufoco, mas com um gol aos 42 minutos do segundo tempo venceu o peruano César Vallejo na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, e confirmou a classificação para a fase de grupos da Libertadores.

Mesmo com o zero a zero garantindo a brasileira no torneio continental, depois do empate em 1 a 1 no jogo de ida, no Peru, o clima no estádio era de apreensão – principalmente depois que o São Paulo perdeu um pênalti no segundo tempo. Michel Bastos chutou na trave. O modesto time peruano ameaçava pouco, com bolas aéreas, mas bastava um gol para eliminar os donos da casa. Coube ao atacante Rogério, que havia entrado minutos antes, aproveitar uma sobra depois do escanteio para carimbar a classificação – e trazer alívio para o time da casa.

Com o resultado, o clube do Morumbi entra no Grupo 1 da Libertadores, ao lado do atual campeão River Plate, da Argentina, do boliviano The Strongest e do venezuelano Trujillanos. A estreia será já na próxima quarta-feira contra os bolivianos, no mesmo Pacaembu.

O jogo – Afobado e pouco inspirado, o São Paulo repetiu os erros do jogo de ida e sofreu contra o César Vallejo. Os ataques aconteciam, mas, desorganizados, acabavam bloqueados pelo time peruano. Na defesa, a equipe da casa também falhava, mas o César Vallejo não tinha qualidade para aproveitar. O goleiro Denis só teve um pouco de trabalho em chute direto de Hohberg, encaixado sem dificuldades.

As primeiras chances começaram a sair quando os peruanos se cansaram de tanto correr atrás da bola. Ganso, até então sumido, passou a controlar mais as ações. O armador achou Michel Bastos livre, mas o meia se enrolou com a bola e perdeu a chance de bater. Ainda assim, conseguiu rolar para Thiago Mendes, mas o volante isolou a primeira chance de gol, já aos 32 minutos.

Na volta do intervalo, o São Paulo teve um pênalti a seu favor: Riojar se enroscou com Ganso e o árbitro marcou. Michel Bastos cobrou e acertou a parte baixa da trave. O nervosismo que já era grande só cresceu com o erro de Michel. Antes válvula de escape pelo lado esquerdo, ele passou a se descontrolar nas reclamações e levou um amarelo. Ao ver que o rival se perdia sem a menor necessidade, os peruanos passaram a acreditar que a vaga era possível, ficando mais com a bola e correndo riscos no ataque.

Mais aberto, o jogo melhorou bastante. Muito superior tecnicamente, o São Paulo teve espaço para trabalhar a bola na entrada da área. Em menos de dois minutos, os comandados de Bauza aproveitaram as mexidas do treinador para mandar duas bolas na trave. Primeiro Wesley, que entrou no lugar do vaiado Centurión, recebeu pela direita, invadiu a área e rolou para Calleri, que mandou de carrinho no travessão de Libman. Depois, Hudson recebeu a bola ajeitada pelo mesmo Wesley e carimbou o pé da trave.

A pressão foi tamanha, no entanto, que o gol enfim saiu. Sem deixar o time peruano respirar, o time da casa chamou a torcida para o jogo e, com um pedido dela, chegou ao gol. Rogério, grito mais bradado durante o segundo tempo, entrou no lugar de Ganso e, após confusão na área, aproveitou sobra de bola chutando de primeira.

(Com Gazeta Press)

Member of The Internet Defense League