Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

NBA: Lakers preparam despedida de gala para Kobe Bryant nesta quarta

Consagrado como um dos maiores da história do basquete, astro de 37 anos fará sua última partida, diante do Utah Jazz, à partir das 23h30 (de Brasília)

O ídolo do Los Angeles Lakers Kobe Bryant encerrará sua brilhante carreira com uma festa digna de uma lenda do basquete mundial. O astro de 37 anos, cinco vezes campeão da NBA, receberá uma série de homenagens antes de fazer sua 1566ª e última partida pelos Lakers diante do Utah Jazz, a partir das 23h30 (de Brasília) desta quarta-feira, no ginásio que se tornou sua segunda casa, o Staples Center.

Seu tour de despedida começou em 29 de novembro de 2015, quando Kobe publicou uma carta destinada ao basquete anunciando que esta seria a última de suas 20 temporadas na NBA. “Meu coração pode manter a batida, minha cabeça pode lidar com a rotina, mas meu corpo sabe que está na hora de dizer adeus…”, escreveu. Desde então, o camisa 24 dos Lakers viveu momentos que só quem foi um dos maiores da história poderia viver. Por onde passou, foi idolatrado e aplaudido, até mesmo em ginásios onde foi odiado no passado.

Leia também:

Despedida de Kobe tem ingressos a partir de R$ 2,3 mil e boné especial por R$ 140 mil

Ele não vem: Kobe Bryant descarta disputar a Rio-2016

LeBron lamenta aposentadoria de Kobe Bryant: ‘Queria ser como ele’

A péssima temporada dos Lakers, eliminados na fase regular na NBA, ao menos deu a oportunidade de o tradicional time de Los Angeles organizar uma grande festa para o ídolo. Kobe estará rodeado por 19.000 espectadores que pagaram em média 971 dólares (cerca de 3.400 reais) para assistir à sua histórica última partida. Uma série de produtos exclusivos será vendida no ginásio. O mais caro é um boné de 38.000 dólares (cerca de 134.000 reais), revestido de pele de carneiro e cobra, com 18 quilates de ouro no formato do número 24 na parte da frente.

O craque que ganhou 460 milhões de dólares em contratos publicitários e que um dia anotou 81 pontos em um jogo, afirma não ter nenhum arrependimento. “Não é difícil, eu aceitei a realidade e estou pronto para novos desafios”, afirmou. “Terminar minha carreira com boa saúde, após três lesões graves, é algo incrível para mim”, explicou o ídolo, que não disputa uma temporada inteira desde 2013 – sofreu uma ruptura no tendão de Aquiles, uma lesão no joelho esquerdo em 2014 e outra no ombro direito em 2015.

Em breve, Kobe Bryant terá uma estátua sua colocada no Staples Center, ao lado de lendas como Jerry West, Kareem Abdul-Jabbar e Magic Johnson. Em seus 20 anos de carreira, ele conquistou cinco títulos da NBA (2000, 2001, 2002, 2009 e 2010) e duas medalhas de ouro olímpicas (Pequim-2008 e Londres-2012) e chegou ao posto de terceiro maior cestinha da história da liga, ultrapassando Michael Jordan.

Dois brasileiros participarão da despedida histórica de Kobe: o companheiro Marcelinho Huertas e Raulzinho Neto, do Utah Jazz. “Seu legado é invejável, é um mito do basquete, deixará um vazio grande na quadra e no coração dos torcedores, mas que sempre terão seu nome na ponta da língua e jamais será esquecido por tudo que fez pelo basquete e principalmente pelos Lakers”, afirmou Huertas.

O boné do Kobe Bryant que será vendido eu seu jogo de despedida

O boné do Kobe Bryant que será vendido eu seu jogo de despedida (/)

Reverência– “Ele é o mais perto de Jordan que nós vimos”. Essa frase foi dita por Magic Johnson, contemporâneo de Jordan e considerado o grande astro dos Lakers antes de Kobe. As palavras do cinco vezes campeão da NBA, assim como Kobe, refletem a realidade, pois Kobe e Jordan têm estatísticas parecidas na carreira. Mais do que isso: o astro dos Lakers sempre quis ser como o ídolo e, há dois anos, admitiu que copiou alguns movimentos de Jordan além da mania de colocar a língua para fora da boca na hora de arremessar.

“Efeito dominó. Eu roubei algumas coisas dele e esta geração rouba algo de mim”, admitiu Kobe. Jordan não criticou o fã. “Apesar de ter roubado as minhas jogadas, não me importo. Eu o considero um dos maiores de todos os tempos”.

Para Kevin Durant, um dos ídolos da nova geração, Kobe sempre foi a inspiração máxima. “Eu o idolatrei, estudei, queria ser como ele. Ele era nosso Michael Jordan”. LeBron James, que nunca negou a obsessão por ser melhor que Kobe, se mostrou triste com o adeus do astro.

“Sempre disse que minha inspiração veio do Michael Jordan, mas sempre achei que ele estava tão fora desse mundo que nunca poderia chegar lá. Kobe foi alguém que eu sempre quis ser e jogar como. Sabia que eu tinha que ser melhor por causa de Kobe Bryant”, disse o camisa 23 do Cleveland Cavaliers, que, em seu último jogo contra Kobe, ganhou de presente um tênis autografado. Kobe Bryant se despede das quadras nesta quarta, mas seu legado no basquete será eterno.

(com Estadão Conteúdo e EFE)

Member of The Internet Defense League