Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nacional contesta escalação do corintiano Yago, flagrado no doping

Dirigente uruguaio diz que jogador deveria estar suspenso preventivamente. Corinthians se defende e diz que atleta ainda não foi punido

Um dia depois do empate em 0 a 0 em Montevidéu, pelas oitavas de final da Libertadores, o Nacional, do Uruguai, formalizou um protesto que pode complicar o Corinthians. Guillermo Pena, diretor da tradicional equipe uruguaia, disse ter enviado um ofício a Conmebol alegando que o zagueiro corintiano Yago deveria estar suspenso preventivamente por ter sido flagrado em um exame antidoping durante o Campeonato Paulista.

Logo após a eliminação na semifinal do Estadual diante do Audax, o Corinthians revelou que Yago havia testado positivo para a substância betametasona, no dia em que sua equipe foi derrotada por 2 a 0 pelo Santos, em 6 de março, na Vila Belmiro. O Nacional tomou conhecimento do fato na última segunda-feira, e na mesma data enviou um ofício a Conmebol avisando do acontecido.

“Enviamos uma carta para a Conmebol questionando a situação do jogador. Na reunião antes do jogo, na presença do superintendente da Conmebol, o Nacional levantou a questão para o Corinthians. O jogador deveria estar suspenso preventivamente. O Brasil deveria comunicar a Conmebol sobre o caso e aí o jogador não estaria à disposição”, comentou o diretor Pena, em entrevista à rádio uruguaia 1010 AM, nesta quinta-feira.

Leia também:

Doping de Sharapova excede limite previsto para anistia

Doping por Meldonium, uma nova ameaça para a Rio-2016

Doping na Rússia, uma política de Estado

O diretor uruguaio, no entanto, admitiu que a principal entidade do futebol sul-americano não se posicionou quanto ao caso, o que possibilitou a entrada de Yago em campo. Ainda no Uruguai, Yago disse não temer nenhuma punição. O jogador disse ter usado o medicamento betametazona para tratar uma inflamação no joelho, seguindo recomendação do departamento médico do clube.

“Confio em tudo mundo no Corinthians. Ninguém me prejudicaria. Erros acontecem e não vou culpar ninguém. É um erro e por isso eu creio em absolvição. Estou tranquilo.” O jogador de 23 anos pôde atuar porque ainda aguarda o resultado da contraprova do exame, o que deve acontecer na próxima segunda-feira.

Caso o exame confirme o doping, Yago deve ser punido provisoriamente por 30 dias até que seja realizado um julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista (TJD-SP). “Eu não tenho culpa nenhuma e em momento algum quis tirar vantagem. Não tomo medicamento fora do clube, não tenho culpa e acredito que tudo vai dar certo”, disse o jogador do Corinthians. Os advogados do clube também creem em absolvição caso seja realizado um julgamento.

(com Gazeta Press e Estadão Conteúdo)

Member of The Internet Defense League