Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mourinho não baixa a bola: ‘Primeira fase ruim em 15 anos’

Treinador diz que vive pior período da carreira, ataca imprensa e fala que há 'ratos' no vestiário do Chelsea que vazam informações

O técnico português José Mourinho desistiu de negar o clima ruim no vestiário do Chelsea. Atual campeão inglês, o time londrino é apenas o 14ª colocado nesta temporada, com oito pontos em sete rodadas, e vem de derrota na Liga dos Campeões para o Porto. Nesta sexta-feira, Mourinho concedeu mais uma tensa entrevista e quase baixou a bola – mas não demorou para que seu orgulho falasse mais alto. Em novo ataque à imprensa, sugeriu que há “ratos” vazando informações de bastidores do Chelsea.

Leia também:

Crise no Chelsea: Mourinho coleciona confusões e já desagrada brasileiros

Mourinho a jornalista: ‘Entre no Google antes de fazer pergunta idiota’

Filha de Mourinho brilha em noite de premiação do pai

Mourinho responde à mulher do técnico do Real Madrid: ‘Deveria cuidar da dieta do marido’

“Defino este como o pior período da minha carreira… Chegar a este momento depois de 15 anos é um pouco tarde, mas está me ajudando a melhorar. É uma ótima experiência negativa.” Vários jornais ingleses noticiaram nesta semana que os atletas do time estariam insatisfeitos com as constantes críticas, inclusive públicas, do treinador. Mourinho admitiu que reclama de seus atletas, mas negou mal-estar.

“Aqui, nós conversamos abertamente. Nós criticamos as pessoas sem qualquer tipo de problema. Não há ninguém chorando, todos querem ir bem e aceitam as críticas. Todos entendem seu trabalho e sabem que têm decepcionado o time”. Perguntado sobre qual seria a escalação para a próxima partida, contra o Southampton, no sábado, Mourinho destilou seu veneno. “Não vou falar o time. Talvez você tenha fontes que possam te dar dicas. Treinamos taticamente ontem e hoje, então tenho certeza que você tem alguns ‘ratos’ que podem te dizer o que está acontecendo”.

Mourinho, no entanto, não quis comentar sobre o episódio que iniciou toda a crise no Chelsea: a saída da médica Eva Carneiro, com quem o treinador se desentendeu durante uma partida no início da temporada. “Nos últimos dois meses, não abri minha boca para falar sobre isso e seguirei assim. Um dia vou falar. E vou escolher o dia”, finalizou, fiel a seu estilo. Eva Carneiro deixou o clube após seis anos trabalhando e prometeu processar o treinador e o Chelsea pela forma como foi tratada.

(da redação)

Member of The Internet Defense League