Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lucas e Kaká podem ser titulares contra os EUA

Dunga aprovou a atuação dos reservas na partida contra a Costa Rica e deve testar mudanças no treino que antecede o amistoso em Boston

O técnico Dunga usará o treino desta segunda-feira para definir mudanças na seleção brasileira que enfrentará os Estados Unidos em amistoso marcado para esta terça-feira, em Boston, às 21h40 (de Brasília). Depois da vitória por 1 a 0 sobre a Costa Rica, no sábado, o treinador avisou que gostaria de observar mais jogadores, sobretudo no ataque. “A ideia é fazer um rodízio, dar uma oportunidade para alguns jogadores”, disse. Reservas na última partida, Kaká e Lucas Moura podem ganhar oportunidade.

Leia também:

Dunga elogia desempenho, apesar da magra vitória contra a Costa Rica

Com gol de Hulk, Brasil derrota Costa Rica na reta final de preparativos para as Eliminatórias

É pouco provável que uma das novidades seja Neymar, embora o craque do Barcelona seja titular absoluto. Ele jogou pouco mais de 10 minutos no sábado e disse depois do jogo que se sente incomodado na reserva, mas deve ficar novamente no banco. “O plano é utilizar o Neymar por um tempo maior nesse segundo jogo, mas precisamos preparar o time para as Eliminatórias”, disse Dunga, que não terá o atacante nas duas primeiras rodadas da competição, contra Chile e Venezuela, por causa de suspensão acumulada da Copa América.

Dunga disse que gostou da movimentação de Lucas, que no sábado jogou 15 minutos no lugar de Willian, e deve dar uma oportunidade ao atacante do Paris Saint-Germain. Outra mudança provável no ataque é a saída de Hulk, embora Dunga tenha dito que gostou do rendimento do atacante, autor do gol da vitória de sábado. E não será surpresa se o técnico optar por fazer um teste com Kaká na função, como no segundo tempo da partida contra a Costa Rica.

O meia deu mais qualidade técnica à equipe, procurou as tabelas e ajudou a orientar os companheiros. Dunga repete a cada entrevista que será muito importante ter jogadores experientes nas Eliminatórias, principalmente nas primeiras rodadas. Disposto a colaborar e certo de que ainda pode ser útil à seleção, Kaká não vê problema em jogar mais avançado.

“Seria complicado jogar enfiado, mas não foi isso o que o Dunga me pediu. Tive liberdade para me mexer e trocar de posição com o Philippe Coutinho”, disse o meia de 33 anos, que atua no país pelo Orlando City. O bem menos rodado Roberto Firmino também briga pela vaga de Hulk.

(Com Estadão Conteúdo)

Member of The Internet Defense League