Clique e assine com 88% de desconto

Justiça argentina solta empresários envolvidos em escândalo da Fifa

Hugo e Mariano Jinkis não podem ultrapassar um raio de 60 quilômetros do tribunal nem permanecer mais de um dia fora de casa

Por Da Redação - 28 ago 2015, 16h36

A Justiça argentina concedeu liberdade aos empresários Hugo e Mariano Jinkis, pai e filho, envolvidos no escândalo de corrupção da Fifa deflagrado pelo FBI em maio. A determinação foi assinada nesta sexta-feira pelo juiz federal Claudio Bonadio, que também suspendeu o pedido de extradição contra os réus e cobrou mais detalhes dos Estados Unidos para reabrir o processo. Acusados de evasão de impostos e associação ilícita, eles são proprietários da Full Play e pagavam subornos para garantir os direitos de transmissão de eventos internacionais. De acordo com o jornal Clarín, eles foram presos no dia 18 de julho e cumpriam pena de prisão domiciliar. Na nova condição, eles não poderão ultrapassar um raio de 60 quilômetros a partir do tribunal nem permanecer mais de 24 horas fora de seus domicílios.

Leia também:

Empresários argentinos envolvidos no caso Fifa se entregam à polícia

Caso Fifa: sócio argentino de J. Hawilla se entrega na Itália

Continua após a publicidade

J.Hawilla usou grampos para colaborar com o FBI

De repórter de campo, a alvo da CPI: os negócios de J. Hawilla

Outros dois cidadãos argentinos respondem a denúncias de corrupção por conta do esquema criminoso na Fifa: Alejandro Burzaco cumpre prisão domiciliar nos EUA, e José Lázaro�� Margulies, naturalizado brasileiro, está foragido da Justiça. Todos eram sócios do empresário brasileiro José Hawilla, dono da Traffic, um dos delatores do processo.

(com agência Gazeta Press)

Publicidade