Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês

Fórmula 1: McLaren apresenta carro e mantém visual laranja

Equipe terá dupla de jovens pilotos para tentar se recuperar do péssimo desempenho na última temporada

Por Estadão Conteúdo - 14 fev 2019, 12h55

Com uma nova dupla de pilotos, a McLaren apresentou nesta quinta-feira, 14, o seu carro para a temporada 2019 da Fórmula 1, o MCL34, que agora será conduzido pelo espanhol Carlos Sainz e pelo britânico Lando Norris. A escuderia manteve o laranja como cor predominante, além de expor a marca da Petrobras, um dos seus patrocinadores, na parte traseira, em que o azul prevalece.

Novo carro da equipe McLaren.

Novo carro da equipe McLaren. /

Em 2019, a McLaren tentará se recuperar do péssimo desempenho no último campeonato, quando terminou na sexta colocação com o espanhol Fernando Alonso e o belga Stoffel Vandoorne na equipe.

Esta será a segunda temporada da McLaren com os motores fornecidos pela Renault e contará com mudanças relevantes em sua gestão, com James Key, ex-Toro Rosso, assumindo o posto de diretor técnico, e Andreas Seidl assumindo a função de diretor administrativo.

Para a temporada 2019, a equipe conta com uma renovada e jovem dupla. Norris, de 19 anos, foi piloto de testes da McLaren nas últimas duas temporadas, além de vice-campeão da Fórmula 2 em 2018. Já Sainz, de 24 anos, estava na Renault no último campeonato.

Publicidade

“Este será um ano muito grande para nós. Acho que temos talentos excepcionais. Todos ficarão muito animados em nos ver no grid na Austrália. Todos os homens e mulheres da McLaren têm trabalhado arduamente para garantir a produção de um carro melhor do que o de 2018”, afirmou Zak Brown, o chefe da McLaren.

O MCL34 poderá ser visto em ação na pista a partir de segunda-feira, 18, quando se iniciarão os testes coletivos da pré-temporada no circuito de Barcelona. Já o campeonato vai ser aberto em 17 de março, com o GP da Austrália, em Melbourne.

Carro da McLaren tem patrocínio da Petrobras na traseira do carro.

Carro da McLaren tem patrocínio da Petrobras na traseira do carro. /

Publicidade