Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dunga rebate críticas após 3 a 0: “Hoje sou melhor do que ontem”

Treinador foi irônico ao comentar mudanças constantes na equipe titular e defendeu maior privacidade nos treinos da seleção

A boa atuação da seleção brasileira na vitória por 3 a 0 sobre o Peru, nesta terça-feira, em Salvador, fez bem ao ego de Dunga. O treinador aproveitou a entrevista coletiva na Fonte Nova para alfinetar os críticos de seu trabalho e elogiar a sua própria evolução no comando da equipe nacional. Ao ser questionado sobre quais certezas levará consigo para 2016, Dunga assumiu o protagonismo. “Uma das certezas que tenho é o fato de ser melhor do que ontem. Isso é um ponto positivo”, afirmou.

Dunga ironizou sobre o fato de não ter repetido a escalação nos quatro primeiros jogos das Eliminatórias para a Copa de 2018. “Todo mundo fala em mudança tática e de sistema. No Brasil, cai o mundo quando se muda o time, mas na Europa fala-se que o técnico estudou, que ele é fantástico. Tentei me aprimorar, tentei buscar opções e estudar como o adversário joga para tentar encaixar melhor a nossa formação com a do rival. Dessa forma, nós teríamos a supremacia na qualidade técnica, que é o ponto em que somos melhores”, acrescentou o treinador.

Leia também:

Argentina, enfim, vence a primeira nas Eliminatórias

Inglaterra vence França em ‘jogo contra o terror’ em Wembley

Dunga também deixou transparecer seu incômodo com a imprensa ao ser perguntado sobre a liberdade que Elias teve no jogo contra o Peru. Antes limitado a proteger a zaga das investidas adversárias, o volante do Corinthians pôde atuar mais solto e apoiar o ataque na Fonte Nova. “Isso é bom para vocês da imprensa falarem que o jogador não vai ao ataque porque o treinador não quer. Se eu convoco o jogador por conta do trabalho que ele faz no clube, é óbvio que quero que ele faça isso na seleção”, disse. “Depende do jogo e de como ele se desenrola. Não existe isso. Só se eu fosse louco. Se convoquei por conta do que ele faz no Corinthians, por que aqui falaria para ele não fazer isso?”, prosseguiu o treinador.

O comandante também voltou a defender os treinos fechados da seleção brasileira e reclamou da organização da atividade realizada na segunda-feira, no estádio de Pituaçu. Uma promoção para torcedores que haviam comprado ingressos para um show da cantora Ivete Sangalo obrigou Dunga a antecipar a abertura dos portões para o público acompanhar as atividades do grupo canarinho.

“Tivemos muitos problemas nesse último treino. O torcedor precisa saber disso, porque depois temos de vencer em campo. O futebol não é desorganizado, mas algumas pessoas querem que ele seja. As pessoas precisam entender que estamos aqui para representar o Brasil e temos de ter tempo para treinar com certa privacidade. As pessoas precisam entender que temos organização e planejamento. Os outros podem ter vários interesses, mas nós precisamos ter o nosso planejamento seguido”.

(com Gazeta Press)

Member of The Internet Defense League