Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Criticada, CBF extingue jogos às 11 horas no Brasileirão

Partidas pela manhã encheram os estádios, mas causaram reclamações de atletas e dirigentes por causa das altas temperaturas

A CBF decidiu abolir as partidas realizadas no período da manhã, com início às 11 horas, nesta edição do Campeonato Brasileiro. A decisão foi tomada após reunião entre dirigentes e médicos na sede da entidade, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira. Eles acataram as reclamações dos clubes e chegaram à conclusão de que as altas temperaturas nesta época do ano comprometem a saúde dos atletas.

Apesar da decisão, foram mantidos os confrontos que já estavam agendados: neste domingo, às 11h, Flamengo e Joinville jogam no Maracanã e Avaí e Vasco se enfrentam na Ressacada. Duas rodadas depois, no dia 18 de outubro, o São Paulo recebe o Vasco no Morumbi, e a Ponte Preta encara o Coritiba no Moisés Lucarelli, também no horário matutino.

Corinthians amplia vantagem, mas tenta controlar euforia

De acordo com o Diretor de Competições, Manoel Flores, a CBF já deu início a um novo estudo para propor outro horário alternativo, que pode ser colocado em prática ainda na edição 2015 do Campeonato Brasileiro. O dirigente, porém, descartou outra opção pelas manhãs.

Apesar de ter sido um sucesso de público – teve média acima de 25.000 torcedores por jogo -, o horário matutino provocou reclamações de diversos clubes. O Santos, por exemplo, chegou a atuar às 11 horas em três finais de semana consecutivos só em setembro, com temperaturas que beiraram os 40°C: derrotas por 3 a 1 para a Ponte Preta, no dia 13, e por 2 a 0 para o Corinthians, no dia 20, e vitória por 3 a 1 sobre o Internacional, no dia 27.

Dentre as 20 equipes da Série A, a Ponte Preta foi a equipe que mais atuou pela manhã (seis jogos), sem contar a partida que fará contra o Coritiba em 18 de outubro. Por outro lado, Atlético-MG e Fluminense só entraram em campo antes do almoço uma única vez cada.

(Com Gazeta Press)

Member of The Internet Defense League