Clique e assine com 88% de desconto

Corinthians lança segunda camisa com o lema: ‘Fala pouco e joga muito’

Novo uniforme mantém as cores tradicionais, mas com inovadoras listras horizontais. Nas redes sociais, clube provocou os críticos

Por Da Redação - 20 nov 2015, 08h52

Logo após conquistar seu sexto título do Campeonato Brasileiro em São Januário, o Corinthians aproveitou a ocasião para apresentar seu novo segundo uniforme. A camisa usada pelos atletas após o apito final tem as cores tradicionais do clube, preto e branco, mas desta vez com inovadoras listras na horizontal, em referência à bandeira do Estado, presente no símbolo do clube. Na barra da camisa, lia-se em dourado uma provocação aos adversários que, durante boa parte do campeonato, insinuaram que o time estaria na liderança graças a erros de arbitragem. “Fala pouco. Joga muito”.

Leia também:

Tite, o herói que não faz gols Seis chaves para o hexa do Corinthians

Os jogos mais marcantes da campanha do Corinthians

Continua após a publicidade

No Twitter, o Corinthians publicou uma imagem de Elias e Gil pedindo silêncio. “A gente jogou quieto o ano inteiro e deixou os outros falarem. Agora está chegando a hora de gritar. Como um bando de loucos. Para calar todos os corneteiros de uma vez só”. Os slogans publicitários remetem especialmente às constantes reclamações contra a arbitragem feitas pelo Atlético-MG durante o Brasileirão.

Nesta quinta-feira, após perder por 4 a 2 para o São Paulo, no Morumbi, o técnico da equipe mineira, Levir Culpi, disse que mantém sua opinião de que os erros de arbitragem mancharam o campeonato, mas negou que as falhas tenham tirado os méritos do campeão. “Claro que está manchado. Aquilo já aconteceu, ninguém vai apagar. Na rodada passada, também tivemos problemas de arbitragem. E não foi só o Atlético-MG”, disse o técnico, antes de reconhecer a superioridade do rival. “Você acha que isso tira o brilho da conquista do Corinthians? É o time com o melhor técnico, o melhor ataque, a melhor defesa. E venceu o Atlético-MG duas vezes”.

(com Gazeta Press)

Publicidade