Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Copa Sul-Minas-Rio inicia primeira (e talvez última) rodada nesta quarta-feira

A liga independente está prevista para ter cinco rodadas, mas a CBF só autorizou a primeira (e em caráter amistoso). Caso segue indefinido

A primeira edição da Copa Sul-Minas-Rio será aberta nesta quarta-feira com quatro jogos e clima de total incerteza, em meio a uma briga que opõe metade dos clubes da Série A e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A competição está prevista para ter cinco rodadas, mas a CBF só autorizou a primeira – e em “caráter amistoso”. Os integrantes da Primeira Liga (nome oficial do torneio), no entanto, afirmam ter respaldo jurídico para manter e disputa e garantem que a rodada de abertura não será também a de encerramento.

Apesar das incertezas, a competição já terá um grande clássico nacional nesta quarta: o Atlético-MG receberá o Flamengo no Mineirão, a partir das 21h45. No mesmo horário, o Internacional pegará o Coritiba no Beira-Rio. Pouco antes, às 19h30, o Cruzeiro abre a competição diante do Criciúma, no estádio Heriberto Hülse, sob o comando de Deivid, estreante como técnico principal. No Maracanã, o Fluminense enfrentará o Atlético-PR. Os jogos serão transmitidos pelo canal SporTV.

O torneio começou a ser desenhado em agosto de 2015, com o objetivo de ser o embrião de uma grande liga independente no futuro. E, ao menos extraoficialmente, era visto com bons olhos pelo presidente licenciado da CBF, Marco Polo Del Nero. A entidade e os clubes chegaram a ensaiar uma aproximação, que acabou ruindo quando a Federação de Futebol do Rio (FERJ) se insurgiu contra o torneio, especiamente devido a uma rixa com Flamengo e Fluminense, os dois representantes do Estado no torneio.

Leia também:

Presidente da CBF comete gafe e mostra desconhecer Conmebol e Fifa

CBF veta Sul-Minas-Rio e liga rebate, a um dia da estreia

Ministro do Esporte garante apoio do governo à Liga Sul-Minas-Rio

CBF volta atrás, retira apoio da Liga Sul-Minas-Rio e compra briga com clubes

Na segunda-feira, a CBF publicou uma resolução proibindo a competição, deixando claro que estava do lado da federação carioca, mas se comprometeu a discutir a organização do torneio em 2017. Nesta terça-feira o secretário-geral da entidade, Walter Feldman, reforçou que os jogos não podem ser considerados como de uma Copa, mesmo que ela seja de caráter amistoso. “Não existe um torneio amistoso. Isso é um sofisma”, disse Feldman. “Os jogos devem servir apenas como evento-teste para uma competição oficial em 2017.”

Os clubes, porém, parecem não se importar com a CBF. Quatro jogos estão marcados para esta quarta, e outros dois para quinta-feira. A tabela completa também será mantida. Para isso, dirigentes da Liga se apoiam em dois artigos da Lei Pelé. Um deles estabelece que as federações não podem ter ingerência sobre ligas independentes.

O especialista em direito desportivo Pedro Trengrouse diz que a competição é legítima. Em sua avaliação, o imbróglio existe por problemas estatutários, que podem ser superados se a CBF ceder. “Ela faz suas próprias regras. Se foi capaz de mudar a geografia do país para eleger alguém do Pará como vice-presidente da região Sudeste, por que não pode flexibilizar uma norma em benefício dos torcedores?”, questiona Trengrouse, citando o coronel Nunes, ex-presidente da federação paraense que hoje é o presidente interino da CBF.

Entraves – A edição de estreia do torneio terá 12 times, divididos em três grupos. Após a primeira fase, os líderes de cada chave e mais o segundo colocado de melhor campanha farão as semifinais e, em seguida, haverá a final, sempre em jogo único, totalizando cinco datas para a competição. A CBF e a federação carioca disseram que autorizam a primeira rodada, pois ela ainda faz parte do período de pré-temporada, e se comprometeu a arrumar uma segunda data, exigindo porém, que o torneio mantenha-se com caráter amistoso.

Com isso, pelo menos três datas coincidiriam com as disputas dos Estaduais ou da Copa Libertadores, motivo usado pela CBF para tentar impedir a Primeira Liga. Nesta semana, discutiu-se a ideia de transferir as três últimas rodadas da Copa Sul-Minas-Rio para junho, durante a parada para a Copa América do Centenário. A CBF, porém, não se sensibilizou. Walter Feldman confirmou ter recebido a proposta, mas afirmou nesta terça-feira que o calendário do futebol brasileiro “é muito organizado” e que o período precisa ser utilizado para descanso dos jogadores.

A proposta de fazer a última rodada da primeira fase, os jogos das semifinais e a decisão em junho partiu de Francisco Novelletto, presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF). Ele almoçou com os presidentes do Internacional, Vitorio Piffero, e do Grêmio, Romildo Bolzan Jr., e sugeriu as datas como alternativa. A ideia foi bem recebida pelos dirigentes gaúchos, que prometeram levar à discussão com os outros integrantes da liga.

Na CBF, porém, a proposta não deverá vingar. “O Novelletto me ligou para sugerir essas datas. Eu, inclusive, agradeci por ele ter discutido a liga com os dois clubes. Mas discuti muito com o nosso diretor de Competições, Manoel Flores. Nosso Campeonato Brasileiro tem muitos jogos, o calendário já está cheio e os jogadores precisam de descanso. Não há possibilidade de se fazer isso”, declarou Feldman.

Secretario Geral Walter Feldman durante Ato Publico em defesa do futebol Brasileiro na sede da CBF na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade

Secretario Geral Walter Feldman durante Ato Publico em defesa do futebol Brasileiro na sede da CBF na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade (/)

Tabela –

Os jogos da primeira rodada da Primeira Liga:

Quarta-feira:

Criciúma x Cruzeiro – Heriberto Hülse – 19h30

Fluminense x Atlético/PR – Raulino Oliveira – 19h30

Internacional x Coritiba – Beira Rio – 21h45

Atlético Mineiro x Flamengo – Mineirão – 21h45

Quinta-feira:

América Mineiro x Figueirense – Independencia – 19h30

Avaí x Grêmio – Arena Condá – 21h45

(da redação)

Member of The Internet Defense League