Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Argentino do Atlético-MG cogita jogar pela seleção brasileira

Lucas Pratto reclamou que sempre os mesmos atacantes são convocados para a seleção argentina e deixou no ar a possibilidade de se naturalizar

O atacante argentino Lucas Pratto, destaque do Atlético-MG na temporada, causou controvérsia em seu país ao reclamar por nunca ter tido uma chance na seleção argentina. Em entrevistas a rádios locais, o jogador de 27 anos chegou até a cogitar a possibilidade de se naturalizar e defender a seleção brasileira. “Se o treinador da Argentina não olha para este lado, será difícil que convoque outros jogadores. Na seleção argentina, sempre chamam os mesmos. Se eu não puder jogar pela Argentina e me quiserem no Brasil, teria que ver”, afirmou Pratto à rádio argentina UNO FM na manhã desta quinta-feira.

Leia também:

Fifa deve impedir Rafinha de atuar pela Alemanha; jogador nega interesse

Dunga dá nota 8.5 para seleção em Fortaleza e já pensa na Argentina

Seleção afasta crise com vitória sobre a Venezuela em Fortaleza

“Dunga disse que se armasse uma seleção do futebol local, eu seria o camisa 9”, continuou Pratto, que se disse plenamente adaptado ao futebol brasileiro e encantado com a torcida do Atlético. “Fiz 22 gols em 40 jogos, estou indo muito bem no Brasil, as pessoas me tratam barbaramente.”

A entrevista teve grande repercussão na Argentina, e mais tarde Pratto conversou com outra rádio e baixou o tom, frisando que ainda sonha em defender a Argentina. “Sou argentino e terei esperança sempre, mas fica um pouco difícil quando não se olha muito para cá. Mais para frente, vamos ver o que acontece. O meu sonho é jogar pela Argentina”, disse à Rádio América.

Pressionado pelo apresentador se aceitaria um chamado de Dunga, despistou: “Não sei o que te dizer, irei esperar pela Argentina.” Revelado no Boca Juniors, onde não teve muitas chances, Pratto se destacou nos últimos anos pela Universida Católica, do Chile, e pelo Vélez Sarsfield, de seu país, antes de chegar ao Atlético, onde rapidamente se tornou ídolo. Ele jamais defendeu a Argentina, nem mesmo pelas seleções de base.

(da Redação)

Member of The Internet Defense League