Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ryan Adams é acusado de assédio e abuso psicológico

Sete mulheres, entre elas uma menor de idade na época dos acontecimentos, denunciaram o cantor ao jornal ‘The New York Times’

O cantor Ryan Adams foi acusado de assédio sexual e abuso psicológico por sete mulheres, incluindo sua ex, a atriz Mandy Moore. Segundo os relatos feitos pelas mulheres ao jornal The New York Times, Adams utilizava sua influência na indústria musical para chantagear as vítimas e, quando suas vontades não eram atendidas, praticava abuso psicológico.

Menor de idade

Um dos casos relatados ao veículo é o de Ava, uma jovem musicista que tinha apenas 14 anos quando começou a conversar com Ryan Adams no Twitter. Não demorou muito para que o compositor introduzisse assuntos sexuais, questionando a garota repetidamente sobre sua idade. “Eu só quero tocar nos seus seios”, escreveu Adams em uma das mensagens. “E, por favor, diga que sua mãe não vai me matar caso descubra nossas conversas.”

Ava ainda conta que chegou a concordar em conversar com o músico por chamada de vídeo, e, quando ele ligou a câmera, estava completamente nu. Na época, a vítima morava em Ohio (EUA), estado onde é crime possuir, trocar ou pedir qualquer material que mostre um menor de 18 anos praticando atividade sexual. Adams negou, através de seu advogado, ter trocado mensagens de cunho sexual com uma menor de idade.

Relacionamentos

Mandy Moore, estrela da série This Is Us, também se pronunciou, afirmando que sofreu abusos durante o casamento de quase seis anos com o cantor. A atriz e cantora contou que após deixar Adams no controle de sua carreira musical, o músico a impedia de trabalhar com outras pessoas e falava constantemente que ela não era uma artista verdadeira. “Seu comportamento essencialmente controlador bloqueou minha habilidade de fazer novas conexões na indústria durante uma época essencial e potencialmente lucrativa de minha carreira”, disse a atriz.

O comportamento abusivo de Adams também foi relatado por uma ex-noiva do músico, Megan Butterworth. Segundo ela, durante a relação, ele decidia com quem ela poderia sair ou trabalhar e tinha o costume de quebrar objetos e intimidá-la fisicamente, embora nunca a tenha agredido. Quando o relacionamento chegou ao fim, o cantor começou a persegui-la nas redes sociais e ameaçou tentar suicídio.

Já a musicista Phoebe Bridgers tinha 20 anos quando conheceu Adams. “Havia um mito em torno dele, parecia que ele tinha o poder de alavancar a carreira das pessoas”, recorda. Os dois iniciaram um namoro que, eventualmente, se tornou abusivo, de acordo com ela: o compositor ameaçava se suicidar caso ela não respondesse a suas mensagens rapidamente e exigia saber onde ela estava a todo o momento. Após o término, a cantora conta que participava de uma das turnês do músico quando foi assediada. “Então, no primeiro dia (de turnê) ele pediu para que eu levasse algo até o seu quarto no hotel”, ela recorda. “Eu fui lá e ele estava completamente nu.”

Outras duas compositoras, que não quiseram se identificar, narram ter sofrido assédio sexual e abuso psicológico por parte de Adams quando suas relações não seguiram o rumo que o músico desejava. A cantora Courtney Jaye relatou ter sido assediada pelo cantor enquanto compunham para o seu novo disco.

Resposta

Após a divulgação da reportagem, Ryan Adams utilizou o Twitter para se desculpar “a qualquer um que possa ter magoado, mesmo sem a intenção”. O cantor também disse que a imagem deixada pelo artigo não corresponde à realidade.

“Alguns dos detalhes estão deturpados; alguns estão exagerados; outros são completamente falsos. Eu nunca teria conversas inapropriadas com alguém menor de idade”, escreveu. “Como alguém que sempre tentou espalhar alegria através da música e da minha vida, ouvir que algumas pessoas acreditam que eu lhes causei dor me entristece enormemente.”

https://twitter.com/TheRyanAdams/status/1095820787074850816

https://twitter.com/TheRyanAdams/status/1095820789360689152

 

Member of The Internet Defense League