Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Paul McCartney caiu em depressão com o fim dos Beatles

Em entrevista a uma estação de rádio, o ex-beatle Paul McCartney confessou ter mergulhado em uma depressão após a ruptura com a banda de Liverpool

Em entrevista a uma estação de rádio da rede BBC, o ex-beatle Paul McCartney confessou ter mergulhado em uma depressão após a ruptura com a banda de Liverpool, em 1970, e ter começado a beber muito depois da separação. A entrevista, ao programa Mastertapes, vai ao ar no sábado na Rádio 4 da rede estatal britânica. “Foi difícil saber o que fazer depois dos Beatles. ‘O que fazer agora?’ Estava deprimido. Estava rompendo com meus amigos da vida, portanto queria a garrafa.” Os Beatles se separaram oficialmente em 1970 após a publicação do álbum Let it Be.

LEIA TAMBÉM:

Paul McCartney diz que Yoko Ono não separou os Beatles

John Lennon resistiu a assinar dissolução dos Beatles, diz ex-assistente

Paul McCartney relembra morte de John Lennon: ‘Horrível’

“O negócio nos separou”, reconheceu Paul, que depois da ruptura resolveu “dar um tempo” na Escócia, onde começou a beber com frequência. Foi sua mulher, Linda, quem o ajudou ajudou a sair da depressão, ao formar com ela o grupo musical Wings, que ele admite não ter a genialidade dos Beatles. “Não foi um bom grupo. As pessoas diziam que Linda não podia tocar teclado e era verdade”, disse.

Por outro lado, Paul disse estar tranquilo por ter melhorado a sua relação com o amigo John Lennon antes do seu assassinato em Nova York, em dezembro de 1980. “Foi realmente grandioso que estivéssemos outra vez juntos antes de sua morte porque teria sido algo muito difícil com que lidar”, contou o músico do quarteto britânico.

Ele ainda admitiu que a competição entre ele e John, nos Beatles, deu origem a alguns dos seus melhores trabalhos musicais.”Quando se é jovem, ocorrem coisas mágicas, estar na banda, concorrer com John, ser um menino e de repente ser famoso… isso deu passo a um bom trabalho”, explicou.

O programa Mastertapes foi gravado em um estúdio da BBC no centro de Londres, onde os Beatles cantaram algumas canções para a rádio nos passados anos 1960. Na gravação, segundo a emissora, estiveram famosos como Brad Pitt e Noel Gallagher, assim como membros do público que fizeram perguntas a Paul McCartney.

Something (George Harrison)

Essa música é daquelas que a gente deseja receber como declaração de amor… “Somewhere in her smile she knows, that I don’t need no other lover…”

Starting Over (John Lennon)

Essa dá vontade de ouvir com as janelas do carro abertas, de preferência com alguém especial ao lado… “Let’s take our chance and fly away somewhere alone…”

Jealous Guy (John Lennon)

Quem é ciumento não tem como não se identificar com essa música, que é um pedido de desculpas… “I didn’t mean to hurt you, I’m sorry that I made you cry…”

Hey, Jude (Paul McCartney)

Essa é pra ouvir naqueles dias que a gente está pra baixo, pois sua letra nos incentiva a deixar a tristeza de lado e melhorar. “Remember to let her into your heart, then you can start to make it better…”

 

While My Guitar Gently Weeps (George Harrison)

Essa música já foi regravada por muitos artistas. E não é difícil entender o motivo. Sua melodia suave combina perfeitamente com sua letra linda, dá vontade de colocar no “repeat” e ficar ouvindo sem parar. “I don’t know why nobody told you, how to unfold your love…”

(Com agência EFE)

Member of The Internet Defense League