Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pais relacionam morte de Rian Brito a consumo de ayahuasca

Em postagens no Facebook, mãe condena bebida, cita Leona Cavalli, que frequenta mesma seita de Rian, e diz que está tomando "providências judiciais e criminais"

Os pais de Rian Brito, Nizo Neto e Márcia Brito, conhecida pelo nome artístico de Brita Brazil, relacionam a morte trágica do neto de Chico Anysio ao consumo do chá de ayahuasca, bebida alucinógena feita a partir de várias plantas e ervas que age no sistema nervoso central. Em uma série de postagens em sua página no Facebook, Brita alertou seus seguidores para os perigos do chá. “O que ficou foi uma mãe tentando alertar todas as outras e todos os jovens que não tomem isto, pelo amor de Deus. Cuidado com o ayahuasca, Santo Daime, ou como queiram chamar. Erva indígena, deixa para o indígena. É isso, Leona Cavalli. É o fim de uma vida, duas vidas”, escreveu na madrugada desta terça-feira, dirigindo-se à atriz, que frequenta a seita Porta do Sol, local onde Rian tomou a ayahuasca.

Leia também:

Corpo de Rian Brito, neto de Chico Anysio, é cremado no Rio

Cremação de Rian Brito é adiada e polícia divulga detalhes da morte

Mãe de Rian Brito rechaça possibilidade de suicídio

Personalidades lamentam morte de Rian Brito, neto de Chico Anysio

Nos comentários da postagem, Brita deu alguns detalhes sobre a ida de Rian ao Porta do Sol. “Ele não estava buscando Deus em um chá. Pergunte a quem toma, jovens curiosos. Como ele não se droga, foi tomar algo comprovado, permitido, legalizado, cheio de gente rica e artistas (que tomam), que traz uma experiência. Ele foi ver qual era a experiência e o convidaram para tomar mais três ou quatro. Isto ocorre há 40 anos no Rio. Atualmente está na moda, como o Facebook. Jovens vão para a Pedra da Gávea e tomam chá.”

Em entrevista ao site Ego, Nizo Neto afirmou que o rapaz mudou muito após ter tomado a bebida. “Com toda certeza foi uma coisa que levou a esse final. Três psiquiatras fizeram essa afirmação”, disse. “Começou com uma coisa espiritual, que não era comum nele. Entrou num delírio que tinha uma missão e que para essa missão ele não podia comer. Comendo o mínimo para sobreviver, chegou a pesar 45 quilos. Existe o Rian antes e depois da ayahuasca, embora ele só tenha tomado quatro doses.”

Leona Cavalli – No fim de semana, Brita Brazil já havia mencionado o nome de Leona em sua página oficial no Facebook. A atriz resolveu se pronunciar nesta segunda sobre o assunto ao ver surgirem especulações sobre sua relação com a morte de Rian. “Gostaria de expressar, mais uma vez, meus sinceros sentimentos a toda família de Rian Brito, com profundo respeito ao momento de dor de seus entes queridos. Coloquei, como muitos, posts da busca dele nas minhas redes sociais e vibro para que Deus o ampare”, escreveu Leona em sua página no Facebook.

“Faço parte da Porta do Sol, Centro de Estudos Xamânicos de Expansão da Consciência, uma organização idônea e regularizada, inscrita no Conad – Congresso Nacional Anti Drogas – e da ONG Paz Sem Fronteiras, que realiza atividades de auxílio aos indígenas, à preservação da natureza, a entidades carentes e à Cultura da Paz há anos, no Brasil e no mundo. “Rian foi ao Centro de Estudos, em 2014, apenas por quatro vezes, uma delas com sua mãe (que não conheci, pois não estava nesse dia, mas respeito muito sua dor, e até mesmo o fato desta senhora estar escrevendo meu nome, neste momento de sofrimento). Depois nunca mais o vi, nem tive nenhum tipo de relação com ele.”

Nesta segunda, Leona afirmou ao site Ego que “está tomando todas as providências judiciais e criminais cabíveis” contra Brita. Já nesta terça-feira, Brita disse que não culpa Leona pelo destino de Rian. “A covardia de fecharem minha conta é que no meu perfil sempre disse que ela não tem culpa e sim o chá fornecido na igreja dela. Mas não quero processá-los, grana, nada disso. Só quero divulgar, para que parem”, disse em uma postagem.

O corpo de Rian foi encontrado numa praia na Reserva de Jurubatiba, em Quissamã, no norte fluminense, na manhã da última quinta-feira, após o músico ter passado mais de uma semana desaparecido. Na semana passada, a delegada Elen Souto, titular da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), que investigou o caso de Rian, afirmou que não acreditava que o rapaz teria tentado suicídio. “Ele tinha o hábito de meditar e jejuar. Tudo indica que ele tenha entrado no mar e se afogado. Ele estava jejuando em um local quente. Como devia estar bastante debilitado por falta de água e comida, não aguentou um mar daquele”, comentou.

A delegada ainda declarou que a praia em que ele foi encontrado é deserta e que o mar é conhecido por ter fortes correntezas, sendo evitado por moradores e turistas. A necropsia realizada no corpo do rapaz apontou que a morte foi causada por asfixia por afogamento. O corpo foi encontrado em avançado estado de decomposição, a cerca de 25 quilômetros de onde foram achados os pertences de Rian, como documentos pessoais, cartão bancário, camisa e chinelos. O corpo do rapaz foi cremado no domingo.

(Da redação)

Member of The Internet Defense League