Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Mogli: O Menino Lobo’ é considerado assustador demais para crianças na Índia

Filme inspirado na clássica animação de 1967 foi censurado para menores de 12 anos no país

O novo lançamento da Disney, Mogli: o Menino Lobo, não foi considerado tão infantil assim como o estúdio gostaria na Índia – país em que se passa a história do garoto adotado por lobos. O filme, que estreou no país asiático na última sexta-feira, foi classificado pelos censores locais como inadequado para menores de 12 anos – a não ser que estejam acompanhados de um adulto responsável. A justificativa para a decisão é a presença dos animais de computação gráfica da produção, considerados assustadores demais.

LEIA TAMBÉM:

Em trailer recheado de ação, Mogli interage com animais na selva

Disney escolhe ator que vai interpretar Mogli em filme ​

Novo ‘Mogli’ deve ter Scarlett Johansson e Lupita Nyong’o

Segundo o site de noticias local DNA India, Pahlaj Nihalani, chefe da Censor Board Of Film Certification – organização que define a classificação indicativa dos filmes no país, não é apenas a trama que é considerada ao definir a censura de uma produção, mas também a apresentação do filme como um todo e, principalmente, o visual usado para contar a história. “Não se deixem levar pela reputação do livro. Vejam o filme e decidam se ele é adequado para crianças. Os efeitos em 3D são tão assustadores que parece que os animais estão pulando na audiência”, disse sobre a produção.

O filme, inspirado na obra escrita por Rudyard Kipling, nascido em Bombaim, na Índia, é uma versão em live action da clássica animação da Disney, Mogli – O Menino Lobo (1967), chega aos cinemas brasileiros no dia 14 de abril. O longa, dirigido por Jon Favreau (Homem de Ferro), conta com o ator mirim Neel Sethi na pele do protagonista, que interage com diversos bichos gerados por computação gráfica. Nesta segunda-feira, a revista The Hollywood Reporter noticiou que o diretor já está negociando com o estúdio para produzir uma sequência do filme, que deve contar com Justin Marks (Street Fighter: A Lenda de Chung-Li) assinando o roteiro, assim como no primeiro longa.


Member of The Internet Defense League