Clique e assine com 88% de desconto

Cantora chilena protesta com seios de fora no Grammy Latino

Com show de Anitta, premiação consagrou artista espanhola Rosalía como grande vencedora da noite

Por Da redação - 15 nov 2019, 08h17

Em sua passagem pelo tapete vermelho do Grammy Latino, em Las Vegas, Estados Unidos, nesta quinta-feira 14, a cantora chilena Mon Laferte protestou com os seios à mostra contra a repressão de manifestantes em seu país. “No Chile, eles torturam, estupram e matam”, dizia uma frase pintada em espanhol no seu colo.

A cantora de 36 anos ainda usou um lenço verde no pescoço em favor da legalização do aborto. Mon fez sua carreira musical no México, mas nasceu na cidade de Vinã Del Mar, no Chile.

Ela venceu a categoria de Melhor álbum de música alternativa por Norma. Em seu discurso de agradecimento, a artista pediu justiça ao Chile e reivindicou a luta dos manifestantes em seu país, que enfrenta uma onda de protestos contra o governo de Sebastián Piñera há quase um mês.

A cantora chilena Mon Laferte protesta no Grammy Latino – 14/11/2019 Bridget BENNETT/AFP

“Esse (prêmio) é para o Chile”, declarou Mon Laferte, que ainda recitou versos enviados por outra cantora chilena, La Chinganera, sobre a situação política chilena.

Continua após a publicidade

Prêmios

O Grammy Latino, realizado no MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, também contou com a presença de artistas brasileiros. O destaque ficou para a cantora Anitta, que cantou La Vida Es Un Carnaval, canção da cubana Celia Cruz.

A dupla Anavitoria ganhou o prêmio de Melhor álbum de pop contemporâneo em português, Gilberto Gil de Melhor álbum de MPB e Marília Mendonça de Melhor álbum sertanejo. Foram premiados ainda BaianaSystem, Tiago Iorc, Mart’Nália e Delino Marçal.

O grande prêmio da noite, de Melhor álbum, foi da cantora espanhola Rosalía, autora de hits como Con Altura e Yo X Ti, Tu X Mi. 

Publicidade